Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Colnago diz que alta do PIB é o maior resultado desde 2017 - Jornal Brasil em Folhas
Colnago diz que alta do PIB é o maior resultado desde 2017


O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, afirmou hoje (30) que a economia brasileira cresceu no 3º trimestre em linha com as expectativas do governo e do mercado. “É o maior resultado desde o 1º trimestre de 2017, quando o país voltou a apresentar taxas positivas de crescimento trimestral da atividade econômica”, destacou Colnago, na conta do ministério no Twitter.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou hoje que o Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país – cresceu 0,8% na passagem do segundo para o terceiro trimestre de 2018, na série com ajuste sazonal. Em relação ao terceiro trimestre de 2017, o crescimento foi de 1,3%.

O ministro acrescentou que o resultado mostra que o PIB “segue trajetória de crescimento sustentável, apesar do movimento menos expressivo do 2º trimestre”. “Estamos há quase dois anos com PIBs trimestrais positivos”, acrescentou.

Para Colnago, os resultados esperados para o 2º semestre “dão uma expectativa positiva para 2019” “Eles refletem o muito que já foi feito, mas a consolidação dos resultados positivos depende fundamentalmente da continuidade das reformas econômicas”, destacou.

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, também destacou a necessidade de continuidade das reformas e ajustes fiscais para que o país tenha um crescimento maior do que o esperado pelo mercado financeiro no próximo ano (2,5%). “A economia vem se recuperando, os índices de confiança aumentaram muito no período recente, a inflação está muito baixo e há um cenário de juros ainda muito baixo. Tudo isso vai levar a uma recuperação cíclica muito forte da economia brasileira que pode até ser maior a depender dos ajustes estruturais e os ajustes fiscais que passam necessariamente pela reforma da Previdência”, disse após participar da apresentação de relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre investimentos públicos no Brasil.

Edição: Sabrina Craide

 

Últimas Notícias

Instituições financeiras reduzem previsão de déficit primário em 2018
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% em 2019
Eletrobras: suspensão de leilão se estende a Amazonas Energia
BNDES voltará a subscrever ações de empresas
Juros do cheque e empréstimo pessoal em 2018 foram menores que em 2017
São Paulo fecha ano com 9,9 milhões de empregos formais no comércio
Governo libera 100% de capital estrangeiro nas aéreas nacionais
BNDES fecha o ano com desembolsos de R$ 71 bilhões

MAIS NOTICIAS

 

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 36 milhões
 
 
Câmara aprova incentivos fiscais a Sudene, Sudam e Centro-Oeste
 
 
Governadores discutem hoje segurança pública; Moro deve participar
 
 
Doria diz a Moro que estados precisam de recursos para a segurança
 
 
João de Deus afirma estar à disposição da Justiça
 
 
CGU recupera R$ 7,23 bilhões para os cofres públicos este ano

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212