Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


09 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Banco Central anuncia renovação de US$ 10,4 bilhões de swaps cambiais - Jornal Brasil em Folhas
Banco Central anuncia renovação de US$ 10,4 bilhões de swaps cambiais


O Banco Central (BC) anunciou a rolagem (renovação) de US$ 10,4 bilhões de contratos de swap cambial – equivalentes à venda de dólares no mercado futuro – que venceriam em 2 de janeiro. A medida ajuda a diminuir a pressão sobre a moeda norte-americana no mercado de derivativos.

As operações começam na segunda-feira (3), quando a autoridade monetária fará leilão para renovar US$ 691,5 milhões por contratos que vencerão em maio, julho e novembro do próximo ano. Os leilões de rolagem seguirão até 21 de dezembro.

O BC também deixará de leiloar dólares das reservas internacionais com compromisso de pegar a divisa de volta daqui a alguns meses. Nos últimos três dias, o banco vendeu US$ 4,25 bilhões das reservas em leilões de linha para segurar a alta do dólar, que na segunda-feira (26) fechou em R$ 3,917, no maior nível desde outubro.

Com a rolagem integral (de 100% dos contratos em circulação), o BC mantém o estoque de swaps na economia em US$ 68,9 bilhões. Se não fizesse os leilões de renovação ou renovasse menos que 100% dos contratos, o estoque cairia, o que equivaleria na prática à compra de dólares no mercado futuro e pressionaria para cima a cotação da moeda norte-americana.

Por meio das operações de swap, o Banco Central oferece contratos em reais no mercado futuro e intervém no câmbio sem usar as reservas internacionais. Nesse tipo de contrato, o BC aposta que o dólar subirá mais que os juros futuros. O mercado aposta que os juros subirão mais que o dólar.

No fim do contrato, ocorre a troca de rendimentos (swap em inglês), resultando em prejuízo para o Banco Central e lucro para os compradores caso o dólar continue a subir e no contrário (lucro para o BC e prejuízo para os investidores), se a cotação cair. Os investidores recebem reais corrigidos pelo dólar, sem comprarem dólares diretamente no mercado e deixando de pressionar a cotação da moeda norte americana.

Nesta quinta-feira, o dólar interrompeu uma sequência de duas quedas diárias e voltou a subir. O dólar comercial fechou cotado a R$ 3,857 para venda, com alta de 0,43%.

Edição: Talita Cavalcante

 

Últimas Notícias

Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato
Porto de Santos movimenta 110 milhões de toneladas de carga em 2018
Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras
Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015
BNDES lança programa para atender startups
Mercosul e UE retomam negociação com expectativa de acordo até março
Poupança tem menor captação para meses de novembro em três anos
Toma posse diretoria da nova Agência Reguladora de Mineração

MAIS NOTICIAS

 

Moro reafirma “confiança pessoal” em Onyx
 
 
Após discussão, votação do Escola sem Partido em comissão é suspensa
 
 
Senado aprova projeto que congela distribuição de recursos do FPM
 
 
Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
 
 
Balança comercial tem segundo melhor superávit para meses de novembro
 
 
Enel anuncia R$ 3,1 bi em distribuição de energia em São Paulo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212