Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Jovens cientistas ganham prêmios por pesquisas inovadoras - Jornal Brasil em Folhas
Jovens cientistas ganham prêmios por pesquisas inovadoras


Estudantes e pesquisadores receberam na tarde de hoje (5) o Prêmio Jovem Cientista. A cerimônia de premiação da 29ª edição ocorreu no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Michel Temer. “Prestigiar a ciência brasileira é dever que eu sempre cumpro com muito prazer. Cerimônias como esta nos enchem de renovado entusiasmo. É animador conhecer tantos pesquisadores talentosos e verificar a vitalidade da ciência do Brasil”, disse o presidente.

Um dos premiados foi a estudante gaúcha Juliana Estradioto. A jovem de 18 anos desenvolveu um filme plástico biodegradável a partir da casca do maracujá. “Eu visitava os agricultores familiares da região e percebi o resíduo do maracujá sendo gerado. E a partir da casca, eu fiquei muito instigada para descobrir o que se podia fazer com ela. Fiquei motivada a propor uma solução ecológica, uma alternativa aos plásticos, um dos vilões do século”.

Juliana não acreditava que poderia vencer o prêmio na categoria ensino médio. “No ensino médio é muito difícil fazer pesquisa. A maioria do investimento e da visão de pesquisador está nas universidades. Ser premiada mostra que nós jovens podem mudar o mundo e propor soluções para os problemas da sociedade”. Para ela, o prêmio serve como motivador para seguir na área científica. “Pra mim não tem nada que me deixe mais feliz do que fazer pesquisa e é o que eu quero fazer pro resto da vida”.

João Vitor Campos e Silva foi o vencedor na categoria Mestre e Doutor. Ele analisou o impacto um modelo de manejo do pirarucu, peixe de alto valor comercial e cultural para a região do Amazonas, e que está ameaçado. O modelo estudado por João Vitor permite o abate modo mais consciente e sustentável. “É uma grande honra receber esse prêmio. Fico profundamente feliz com a possibilidade de divulgar e valorizar o trabalho que as comunidades rurais vêm fazendo na Amazônia”.

O presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Mário Neto Borges, exaltou a importância do prêmio como estímulo à pesquisa e atividade científica. “O Prêmio Jovem Cientista é o futuro. São os meninos que precisam receber esse incentivo. O prêmio tem demonstrado que a ciência que eles produzem não é apenas para o avanço do conhecimento, mas também atua na solução dos problemas brasileiros”.

Os vencedores das categorias Mestre e Doutor; e Ensino Superior ganham um prêmio em dinheiro, que vai de R$ 35 mil a R$ 12 mil. Os vencedores do Ensino Médio recebem um laptop cada. E todos recebem bolsas de estudo do CNPq, nas modalidades de iniciação científica até o pós-doutorado.

Veja a lista completa de vencedores da 29ª edição do Prêmio Jovem Cientista:

Mestre e Doutor

1º Lugar

João Vitor Campos e Silva: O gigante das várzeas: o manejo do pirarucu como modelo de conservação da biodiversidade e transformação social na Amazônia.

2º Lugar

Carolina Levis: Domesticação da floresta amazônica: um legado dos povos do passado e do presente para a humanidade.

3º Lugar

Gelson Vanderlei Weschenfelder: Os super-heróis das histórias em quadrinhos como recursos para a promoção de resiliência para crianças e adolescentes em situação de risco.

Ensino Superior

1º Lugar

Célio Henrique Rocha Moura: Os valores naturais das unidades de conservação do Recife: mata de Dois Irmãos e mata do Engenho Uchôa.

2º Lugar

Rafaella Santos Rêda: Dispositivo de comunicação para surdocegos através da emissão e recepção de sinais sensíveis ao toque.

3º Lugar

Jeferson Almeida de Oliveira: Sobreposição de Parque Estadual a assentamento agroextrativista na Amazônia brasileira.

Ensino Médio

1º Lugar

Juliana Davoglio Estradioto: Desenvolvimento de um filme plástico biodegradável a partir do resíduo agroindustrial do maracujá.

2º Lugar

Sandro Lúcio Nascimento Rocha: captação e uso da água da chuva no ambiente escolar através de caixa feita a partir de garrafas pet e cimento ecológico da cinza da fibra do coco (cocos nucifera).

3º Lugar

Leonardo Silva de Oliveira: Aquameaça: uma aplicação Android para identificação e monitoramento de ameaças a ecossistemas aquáticos.

Edição: Sabrina Craide

 

Últimas Notícias

Instituições financeiras reduzem previsão de déficit primário em 2018
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% em 2019
Eletrobras: suspensão de leilão se estende a Amazonas Energia
BNDES voltará a subscrever ações de empresas
Juros do cheque e empréstimo pessoal em 2018 foram menores que em 2017
São Paulo fecha ano com 9,9 milhões de empregos formais no comércio
Governo libera 100% de capital estrangeiro nas aéreas nacionais
BNDES fecha o ano com desembolsos de R$ 71 bilhões

MAIS NOTICIAS

 

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 36 milhões
 
 
Câmara aprova incentivos fiscais a Sudene, Sudam e Centro-Oeste
 
 
Governadores discutem hoje segurança pública; Moro deve participar
 
 
Doria diz a Moro que estados precisam de recursos para a segurança
 
 
João de Deus afirma estar à disposição da Justiça
 
 
CGU recupera R$ 7,23 bilhões para os cofres públicos este ano

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212