Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Premiê japonês pede investigação de casos suspeitos de abuso infantil - Jornal Brasil em Folhas
Premiê japonês pede investigação de casos suspeitos de abuso infantil


O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, determinou que sejam feitas, dentro de um mês, investigações de emergência de possíveis casos de abuso infantil para confirmar a segurança das crianças.

Em reunião de ministros, Abe pediu que sejam verificados todos os casos suspeitos de abuso que estão sendo tratados atualmente nos centros de bem-estar infantil.

A ordem ocorre depois da detenção dos pais de uma menina de 10 anos, na província de Chiba, próxima a Tóquio, acusados de terem feito lesões que causaram a morte da filha.

Abe disse que é lamentável que escolas, comitês de educação e centros de bem-estar infantil, que, supostamente deveriam proteger as crianças, tenham falhado ao ouvir os pedidos de socorro da menina.

Ele acrescentou que deve ser dada prioridade à proteção das vidas das crianças e pediu esforços para eliminar o abuso infantil.

ONU

O Comitê das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança pediu ao governo japonês que proíba o castigo físico aplicado às crianças em casa.

O comitê avalia a situação dos direitos humanos nos países, com base na Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança.

Nessa quinta-feira (7), em entrevista coletiva em Genebra, na Suíça, representantes do comitê divulgaram os resultados da revisão das condições de direitos humanos no Japão.

Segundo o relato, a lei japonesa não proíbe completamente o castigo físico às crianças em casa. Acrescentou que a punição corporal deve ser clara e completamente proibida, mesmo sendo leve.

Um repórter perguntou sobre as opiniões do comitê a respeito do caso da menina de 10 anos que, recentemente, morreu em consequência de possíveis abusos cometidos por seus pais.

Um dos integrantes do órgão disse que a menina deve ter pedido ajuda a muitos adultos, mas nenhum deles tentou protegê-la. O especialista afirmou que a tragédia nunca mais deverá se repetir.

*Com informações da NHK (emissora pública de televisão do Japão)

Edição: Graça Adjuto

 

Últimas Notícias

Receita cria chat para regularizar débitos de pessoas físicas
MP facilita registro de empresas nas juntas comerciais
Mudança em servidor foi a causa de instabilidade ontem, diz Facebook
Corte de pessoal gera economia de R$ 200 milhões, afirma presidente
TCU pede informações antes de decidir sobre leilão de ferrovia
Leilão de aeroportos testa novo modelo em blocos
Pretendentes já ofertaram R$ 2,3 bi no leilão de aeroportos
Aeroportos foram arrematados com ágio médio de 986%

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212