Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


10 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governo publica decreto com alterações na composição do CNPE - Jornal Brasil em Folhas
Governo publica decreto com alterações na composição do CNPE


O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, disse hoje (6) que as alterações na estrutura e composição do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) são para modernizar e dar mais segurança nas decisões do colegiado. As principais alterações, no Decreto nº 9601/2018 publicado nesta quinta-feira são a retirada da figura do secretário executivo do Ministério de Minas e Energia (MME) da composição do CNPE e a inclusão do Ministério de Relações Exteriores (MRE) e também do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

De acordo com a assessoria do ministério, a inclusão do GSI dialoga com outro Decreto 9600/2018, também publicado nesta quinta-feira, no Diário Oficial da União, que trata da política nuclear brasileira, que terá observância também do GSI.

Além do uso da tecnologia nuclear para fins pacíficos, o domínio da tecnologia relativa ao ciclo do combustível nuclear, a busca da autonomia tecnológica nacional, o estímulo à sustentabilidade econômica dos projetos no setor e preservar o domínio da tecnologia nuclear, o Decreto 9600/2018 também prevê a garantia da autonomia na produção do combustível nuclear.

De acordo com o ministério, o GSI e o MRE foram incluídos no CNPE devido às recorrentes questões relativas à importação e exportação de energia, aproveitamento energético em áreas de fronteira e uso pacífico de energia nuclear. “O que eu fiz foi introduzir também o GSI. É uma questão de segurança; nada é mais necessário ter um acompanhamento detalhado, objetivo e cuidadoso do ponto de vista de um país do que a preservação do seu sistema de abastecimento energético”, disse o ministro.

Contratos com países vizinhos

Segundo o Moreira Franco, a inclusão do Ministério das Relações Exteriores se deve a contratos que o país têm com nações vizinhas envolvendo energia, especialmente no caso da usina de Itaipu, construída em parceria com o Paraguai.

“Temos problemas com contratos com diversos países que são vizinhos nossos e temos também uma usina binacional [Itaipu]. Até já há negociações com Itaipu e daqui a cinco anos teremos uma discussão extremamente importante para o abastecimento de energia do país que é a discussão do Anexo C de Itaipu”, disse o ministro referindo-se ao término do contrato para a cessão de parte da energia pertencente ao Paraguai, produzida pela usina, para o Brasil.

O Decreto nº 9601/2018 também alterou o número de participantes do CNPE de 14 para 17; reduziu o número de reuniões anuais obrigatórias de duas para uma. O decreto excluiu a limitação para a realização de reuniões extraordinárias, sempre que convocadas pelo titular do MME, que é o presidente do conselho, e prevê a possibilidade delas serem realizadas por áudio ou teleconferência para reduzir custos e evitar atrasos devido à agenda dos ministros.

Participação da academia

O CNPE foi instituído há 18 anos e tinha com uma vaga para a sociedade civil e uma para a academia. O Decreto nº 9601/2018 também alterou a participação do segmento, ampliando o número de vagas. Agora serão quatro: dois especialistas em energia e dois representantes de instituições acadêmicas brasileiras (era uma vaga de cada grupo), que serão escolhidos pelo ministro do MME a partir de uma lista tríplice, a ser regulamentada.

O novo decreto também prevê que os ministros de Estado poderão também ser representados nas reuniões do conselho por servidores ocupantes de nível hierárquico equivalente a 6 do Grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) ou por oficiais-generais.

Edição: Fábio Massalli

 

Últimas Notícias

Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato
Porto de Santos movimenta 110 milhões de toneladas de carga em 2018
Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras
Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015
BNDES lança programa para atender startups
Mercosul e UE retomam negociação com expectativa de acordo até março
Poupança tem menor captação para meses de novembro em três anos
Toma posse diretoria da nova Agência Reguladora de Mineração

MAIS NOTICIAS

 

Moro reafirma “confiança pessoal” em Onyx
 
 
Após discussão, votação do Escola sem Partido em comissão é suspensa
 
 
Senado aprova projeto que congela distribuição de recursos do FPM
 
 
Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
 
 
Balança comercial tem segundo melhor superávit para meses de novembro
 
 
Enel anuncia R$ 3,1 bi em distribuição de energia em São Paulo

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212