Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Oxfam: 1% dos mais ricos do mundo têm mais do que os demais 99% - Jornal Brasil em Folhas
Oxfam: 1% dos mais ricos do mundo têm mais do que os demais 99%


O patrimônio acumulado pelo 1% das pessoas mais ricas do mundo superou em 2015 o dos 99% restantes, um ano antes do que as previsões a respeito - informa a ONG britânica Oxfam, nesta segunda-feira, às vésperas do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça.

O Fórum começa nesta quarta-feira, 20 de janeiro.

O fosso entre a faixa dos mais ricos e do restante da população (do planeta) se aprofundou de maneira espetacular nos últimos 12 meses, constata um relatório da ONG intitulado Uma economia a serviço do 1%.

No ano passado, a Oxfam previu que isso aconteceria em 2016. No entanto, aconteceu já em 2015: um ano antes, alerta o informe.

Para ilustrar essa enorme diferença nas desigualdades nesses últimos anos, a ONG calcula que 62 pessoas possuem tanto (capital) quanto a metade mais pobre da população mundial. Há apenas cinco anos, eram 388.

A ONG convoca os participantes de Davos a agir. Não podemos continuar deixando que centenas de milhões de pessoas passem fome, quando os recursos para ajudá-los estão concentrados no topo da cadeia por algumas poucas pessoas, afirma Manon Aubry, encarregada dos assuntos de Justiça Fiscal e Desigualdades da Oxfam França, citada em um comunicado.

Segundo a Oxfam, desde o início do século XXI, a metade mais pobre da humanidade se beneficia de menos de 1% do aumento total da riqueza mundial, enquanto que o 1% mais rico distribuiu entre si a metade dessa alta.

Para enfrentar esse crescimento das desigualdades, a Oxfam pede, em particular, que se ponha fim à era dos paraísos fiscais, destacando que nove em cada dez empresas que aparecem entre os sócios estratégicos do Fórum estão presentes em pelo menos um paraíso fiscal.

Devemos encarar os governos, empresas e elites econômicas presentes em Davos para que se comprometam a pôr fim a esta era dos paraísos fiscais, que alimentam as desigualdades mundiais e impedem centenas de milhões de pessoas de sair da pobreza, afirma a diretora-geral da Oxfam International, Winnie Byanyima, que estará em Davos.

No ano passado, vários economistas contestaram a metodologia usada pela Oxfam para estabelecer suas estatísticas. A ONG defendeu o instrumento utilizado para esse estudo: o (cálculo do) patrimônio líquido, ou seja, os ativos possuídos menos as dívidas.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212