Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Depoimento de empresário no Conselho de Ética era desnecessário, diz Cunha - Jornal Brasil em Folhas
Depoimento de empresário no Conselho de Ética era desnecessário, diz Cunha


O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), considerou “desnecessário” o depoimento prestado hoje (7) pelo empresário Leonardo Meirelles, dono do laboratório Labogen, no Conselho de Ética da Casa.

Para Cunha, a fala de Meirelles não tem nada a ver com o fato investigado pelo colegiado. Cunha é investigado no conselho pela suspeita de manter contas bancárias secretas no exterior e de ter mentido sobre a existência delas em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras.

“Não existiu o fato, quem dirá prova [no depoimento]. O que vejo é que sempre há a tentativa me atribuir coisas das quais eu não sou partícipe. Não vejo nem comemoração, nem derrota. Esse depoimento era absolutamente desnecessário, não tem nada a ver com o fato, nem com a representação”, disse Cunha.

Ao Conselho de Ética, Meirelles disse que o doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, usava contas de empresas dele para receber e repassar valores. O empresário afirmou que não conhece Eduardo Cunha, que não sabe de transferências para contas específicas do deputado, nem se este tem contas no exterior. Segundo Meirelles, em uma conversa informal, Youssef disse que foi pressionado para fazer uma transferência grande e que os valores eram para Eduardo Cunha.

Cunha tentou barrar o depoimento de Meirelles com pedido de liminar ao Supremo Tribunal Federal (STF), que foi rejeitado ontem pela ministra Cármen Lúcia. Os advogados de Cunha foram ao STF com uma ação para impedir que investigados na Operação Lava Jato prestem depoimento como testemunhas de acusação no processo no Conselho de Ética da Casa. Eduardo Cunha entende que isso foge do tema da representação aceita pelo Conselho de Ética.

Para o presidente da Câmara, não houve novidade no depoimento de Leonardo Meirelles. “Querer buscar nos fatos que estão sob investigação judicial para tentar colocar conduta [quebra] de decoro é querer burlar decisão do próprio conselho na admissibilidade. Em segundo lugar, querer criar situações que não têm amparo no regimento e na legislação para querer criar condutas inadequadas. Repudio isso”, afirmou Cunha.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212