Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 GE vende sua divisão de eletrodomésticos a grupo chinês Haier - Jornal Brasil em Folhas
GE vende sua divisão de eletrodomésticos a grupo chinês Haier


O conglomerado americano General Electric (GE) anunciou nesta sexta-feira que vai vender a divisão de eletrodomésticos ao grupo chinês Qingdai Haier por 5,4 bilhões de dólares, em uma das maiores aquisições de uma empresa norte-americana por capitais chineses.

O grupo americano cederia inicialmente a divisão ao grupo sueco Electrolux por 3,3 bilhões de dólares, mas em dezembro anunciou o cancelamento da operação, após a rejeição das autoridades americanas de concorrência.

A GE afirma em um comunicado que a venda recebeu a aprovação da direção da empresa, assim como da Qingdai Haier, mas que os acionistas do grupo chinês e as agências de regulamentação do país asiático também precisam dar o sinal positivo.

Essa transação personifica a natureza transformadora da economia global, com uma centenária companhia vendendo uma de suas principais unidades a uma companhia chinesa que surgiu de uma fábrica de refrigeradores que há 30 anos estava à beira da falência.

A Haier está tentando se tornar uma marca global, enquanto a China pretende concentrar mais a sua economia no consumo, longe da infraestrutura e do modelo que impulsionou o investimento no passado.

A empresa chinesa está comprometida com o crescimento do negócio em nível global, disse o presidente da GE, Jeff Immelt, no comunicado.

A divisão de eletrodomésticos da GE está bem e muitos compradores potenciais se manifestaram, permitindo obter um bom acordo para nossos investidores, nossos clientes e nossos funcionários, acrescentou.

Chefe destruiu refrigeradores com martelo

O Grupo Haier é o segundo maior fabricante de eletrodomésticos na China e surgiu a partir da Fábrica de Refrigeradores de Qingdao, com sede no porto de mesmo nome no leste da China, cujo presidente, Zhang Ruimin, foi designado para dirigi-la em meados da década de 1980.

Zhang é conhecido por sua enérgica reação para satisfazer as queixas de clientes, quando descobriu que 76 refrigeradores, dos mais de 400 armazenados, estavam com defeito.

Ele ordenou que seus funcionários deixassem esses refrigeradores em pedaços e conduziu pessoalmente a destruição com um martelo.

Se permitisse que esses 76 refrigeradores fossem vendidos, isso significaria a permissão para que 760 ou até mesmo 7.600 desses refrigeradores defeituosos sejam produzidos amanhã, declarou Zhang, segundo a agência de notícias chinesa Xinhua.

O martelo usado por Zhang agora está em um museu chinês, noticiou a Xinhua.

Os métodos de Haier foram estudados em escolas de negócios estrangeiras, inclusive em Harvard, mas sua exata estrutura de propriedade se mantém opaca.

Haier tem, segundo Immelt, a pretensão de se expandir nos Estados Unidos, ter atividade na produção (no país) e investir mais.

Os dois grupos assinaram paralelamente um acordo de associação de longo prazo para explorar a cooperação nos setores de aparelhos conectados, de saúde e da indústria especializada.

Oficialmente, o grupo chinês está dividido em várias unidades que são propriedade coletiva. Tem duas subsidiárias que operam na bolsa, a Haier Electronics em Hong Kong e a Qingdao Haier em Xangai, por meio da qual adquiriu a divisão da GE.

A Haier tem vínculos estreitos com o governante Partido Comunista da China e Zhang é membro alternado de seu Comitê Central.

O grupo teve um volume de negócios de 30,47 bilhões de dólares e ganhos de 15 bilhões em 2014, de acordo com sua página na internet, e tem atividades e clientes em uma centena de países.

A Haier comprou as operações da linha branca da companhia japonesa Sanyo em 2011, a primeira aquisição por parte de uma empresa chinesa de um segmento de negócios de um grande fabricante japonês.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212