Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Em um dia histórico o Brasil começa a se livrar do PT - Jornal Brasil em Folhas
Em um dia histórico o Brasil começa a se livrar do PT


Em uma votação histórica, acompanhada ao vivo em todo o país e boa parte do mundo, o plenário da Câmara dos Deputados, por 367 votos favoráveis e apenas 146 contrários (contando abstenções e ausências), decidiu dar uma nova chance ao Brasil. Apesar das tentativas desesperadas do governo de comprar votos e consciências, do terrorismo imposto pela militância petista e seus asseclas, a grande maioria dos deputados votou a favor do Brasil. “Não existe exército que resista à força de uma ideia que encontra seu tempo", afirmou o líder do Democratas na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), citando Victor Hugo.
“Para o Democratas, que sempre combateu os desmandos do PT, o 17 de abril será sempre uma data a ser rememorada”, destaca o líder do partido na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM). “O DEM foi o partido que, desde o primeiro momento, se colocou como forte opositor do jeito petista de governar”, acrescentou. “Quando muitos se furtaram de fazer oposição, o Democratas carregou a bandeira dos muitos que desaprovavam os desmandos e desvios que o PT mostrava desde o início de sua gestão”, lembrou.
O primeiro deputado Democrata a votar foi o roraimense Abel Mesquista Jr. “Roraima, verás que um filho teu não foge a luta”, declamou, votando sim. Depois, o deputado gaúcho Onyx Lorenzoni, citando trecho do hino rio-grandense, afirmou: “Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra”. Onyx lembrou também que o processo de impeachment está legitimado pela Constituição.
Na sequência, foi a vez do paraense Hélio Leite. “Em respeito a minha família, meus amigos e minha amada Castanhal, eu voto sim”, declarou Hélio. O deputado Mandetta, disse que votada em nome do Mato Grosso do Sul e do Brasil. Já o deputado Marcos Rogério (RO), votou sim “contra a corrupção estrutural e sistêmica desse governo”. Alberto Fraga (DF) votou sim dizendo que “342 eu tivesse 342 votos eu daria para salvar o país dessa corrupção”.
A Professora Dorinha (TO) disse que votava sim “pela democracia, com tranquilidade e com consciência plena”. O deputado Alexandre Leite (SP) ironizou a presidente ao dizer “tchau, querida”, quando votou sim pelo impeachment. “Contra a corrupção deste país e pelo futuro das minhas filhas, voto sim”, assegurou Eli Correa Filho (SP). “Por Itu, por São Paulo e pelo Brasil voto sim", disse o Missionário José Olímpio, ao votar sim. Rodrigo Garcia (SP) citou seu suplente, Marcelo Aguiar (SP) e disse que votava pelo futuro de suas filhas e do Brasil.
O deputado Juscelino Filho votou por sua família e por seu “querido estado do Maranhão”. Moroni Torgan (CE) mencionou o estado democrático de direito e a constituição ao declarar seu voto favorável ao impeachment. Francisco Floriano (RJ) disse que “chega o momento de se valer da Constituição e ouvir as vozes das ruas, por isso voto sim". Marcos Soares (RJ), disse que o PT sempre tentou destruir a família brasileira. O deputado Rodrigo Maia, também do Rio de Janeiro, disse que o PT sempre rasgou a constituição e por isso seu voto era sim. Sóstenes Cavalcante (RJ) votou pelos evangélicos e pelos movimentos de rua.
Felipe Maia (RN) votou sim “por aqueles que defendem a lei e a constituição”. Carlos Melles (MG) votou a favor da família, do agricultor e também pela constituição. Misael Varela, também de Minas, disse que votou sim pela “transparência, contra a corrupção e pelo resgate de novas esperanças”.
O baiano Cláudio Cajado disse que “estamos indo rumo ao futuro de encontro a um melhor destino”. Já o deputado Elmar Nascimento votou sim “para livrar o Brasil dessa organização criminosa que governa o país”. José Carlos Aleluia lembrou a luta histórica do Democratas na oposição ao PT. Paulo Azi disse que votava em respeito aos seus eleitores.
O deputado Efraim Filho (PB) votou sim com a coerência de quem sempre fez oposição ao PT e aos seus crimes. Por fim, o deputado Mendonça Filho (PE), coordenador do Comitê Pró-impeachment, disse que o processo foi admitido na Câmara seguindo os preceitos constitucionais.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212