Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Mais de 4 bilhões de pessoas continuam sem acesso à internet no mundo - Jornal Brasil em Folhas
Mais de 4 bilhões de pessoas continuam sem acesso à internet no mundo


Mais de 4 bilhões de pessoas continuam sem acesso à internet no mundo, criando uma exclusão digital que também se deve ao fato de que as novas tecnologias são mais aproveitadas nos países ricos, garantiu o Banco Mundial (BM) nesta quarta-feira.

A Índia tem o maior número de pessoas sem acesso à internet, com 1,1 bilhão, seguida da China (755 milhões) e Indonésia (213 milhões), segundo um relatório do organismo.

Ao todo, 4,2 bilhões de indivíduos não têm acesso a esta ferramenta, cerca de 60% da população mundial.

A exclusão é ainda mais impactante com relação à internet de banda larga, serviço do qual se beneficiam 1,1 bilhão de pessoas, que representam 15% da população do planeta.

Devemos evitar criar uma nova classe socialmente marginalizada, alertou o economista chefe do BM, Kaushik Basu, citado no relatório sobre os dividendos digitais.

Embora o BM tenha observado que os mais desfavorecidos também tenham se beneficiado da revolução tecnológica.

Em 20% dos lares mais pobres do planeta, cerca de 7 em cada 10 pessoas possuem um telefone celular, informa o relatório.

De fato, estes lares têm mais possibilidades de ter acesso a aparelhos de telefone celular do que a banheiros ou água potável, ressaltou o presidente do BM, Jim Yong Kim.

Por outro lado, o número de internautas triplicou em dez anos, passando de 1 bilhão em 2005 para 3,2 bilhões no final de 2015.

Mas os benefícios econômicos da revolução digital são menores do que o esperado nos países de baixa renda, lamentou o Banco Mundial.

Os efeitos da tecnologia na produtividade mundial, a melhoria das oportunidades para os pobres e a classe média (...) não estiveram à altura do esperado, informou o relatório.

Os novos empregos criados pela revolução tecnológica requerem altas capacidades e limitam as funções de rotina, o que força muitos trabalhadores a rivalizar pelos empregos de baixa remuneração.

Se quisermos que (a tecnologia digital) beneficie a todos e em todas as partes, é preciso reduzir a brecha digital que persiste, em particular em matéria de acesso à internet, afirmou o relatório.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212