Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Fisioterapeuta e preparador físico vão ajudar a contar enredo da Portela - Jornal Brasil em Folhas
Fisioterapeuta e preparador físico vão ajudar a contar enredo da Portela


Qual a ligação de um fisioterapeuta e de um preparador físico com uma escola de samba? Em 2016, no carnaval do Rio, essa relação tem tudo a ver e o resultado desta união poderá ser apreciado durante o desfile da Portela. A ideia de usar o trabalho de Vitor Pessanha e Jalber Rodrigues foi dos coreógrafos da comissão de frente da Portela, Marcelo Sandryni e Roberta Nogueira. A dupla se juntou à coreógrafa Ghislaine Cavalcanti, que, este ano, faz o seu terceiro carnaval pela escola.

Sem detalhar a apresentação da Comissão de Frente – afinal, o segredo é sempre valorizado pelos coreógrafos até o momento do desfile – Sandryni e Roberta contaram à Agência Brasil, que os movimentos da coreografia preparada para este ano exigem muito esforço dos 14 integrantes e alguns chegaram a se queixar de dores. É um trabalho muito complicado, muito físico e está exigindo muito da parte de força. Mesmo sendo bailarinos eles estão sentindo muita pressão, mas já estão se preparando, disse Sandryni.

Na avaliação da dupla, a grande dificuldade na criação da coreografia foi juntar as partes artística e técnica. [É complicado] conseguir aliar a dança à parte técnica, que se tiver um probleminha, um tempinho fora já dá um problema absurdo. Tem que fazer tudo certo. A técnica tem que ser perfeita, explicou Roberta.

Bota especial

Ela destaca que o envolvimento do fisioterapeuta Vitor Pessanha com o trabalho é tão grande que ele vai confeccionar uma bota especial de proteção para cada integrante da Comissão de Frente a fim de evitar que alguém se machuque no desfile. Além disso, os integrantes terão acompanhamento enquanto estiverem na concentração, momentos antes de entrarem na avenida. [A finalidade é] soltar os músculos dos meninos para que possam desfilar menos tensos e de uma forma mais saudável, contou Roberta.

Os ensaios são feitos à noite e sempre em locais mais reservados para a coreografia não ser vista antes da hora. Eles começaram em outubro e no fim de novembro os dois profissionais entraram para o grupo, sempre acompanhando os exercícios necessários e os movimentos dos bailarinos. Vitor cuida do condicionamento físico dos integrantes e o preparador Jalber Rodrigues orienta a parte técnica da coreografia. É uma parceria maravilhosa, ressaltou Sandryni. Vitor é fisioterapeuta do Clube de Regatas do Flamengo e Jalber acompanha um dos jogadores de basquete do clube. Se completam. Deu tudo certo, completou Roberta.

Trabalhos anteriores

O trabalho da dupla de coreógrafos com o carnavalesco Paulo Barros, que este ano desenvolve, na Portela, o enredo No Voo da Águia, Uma Viagem sem Fim, não vem de agora. Em 2003, ainda no grupo de acesso, surgiu na avenida a primeira alegoria humana, uma característica de Paulo Barros. No desfile da escola de samba Paraíso do Tuiuti, Sandryni fez a coreografia dos componentes do carro que representava o quadro Espantalho de Cândido Portinari, tema daquele ano. No ano seguinte, foi a vez da mineira Roberta se unir ao carnavalesco. Até então eu via os desfiles pela televisão lá em Minas e aí esse menino [Sandryni] me chamou.

Em 2016, a responsabilidade aumentou com a estreia como coreógrafos de comissão de frente no grupo especial, considerado a elite do carnaval do Rio, e ainda trabalham em sete alegorias e três alas. Para Sandryni, existe o conceito de que o trabalho de coreografar alegorias e alas é mais fácil, mas, na verdade, é muito mais profundo, sem contar com o peso de ter que responder pela comissão de frente. Nas alegorias, tem que selecionar as pessoas, motivar, ensinar canto, interpretar, interagir com o público. Só que quando se assiste não tem um quesito que julgue isso”, disse. “Só que agora são 40 pontos em um quesito que é nomeado [essa é a nota máxima que pode ser atribuída ao quesito Comissão de Frente], explicou.

Como costuma ocorrer em todos os anos, as orientações para a criação da coreografia da Comissão de Frente foram dadas por Paulo Barros e a partir daí o trio de coreógrafos criou o que será apresentado, pela quarta escola que entrará na passarela do samba, no segundo dia de desfiles. Este ano, a comissão da Portela terá uma alegoria além dos componentes.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212