MP confirma massacre em tribo isolada do Amazonas

0 Shares
0
0
0
0

O Ministério Público Federal do Amazonas confirmou nesta sexta-feira o assassinato de vários indígenas de uma tribo isolada no extremo oeste do estado do Amazonas (norte) por garimpeiros ilegais que agem na região, informou nesta sexta-feira a agência de notícias Amazônia Real.

Confirmamos as mortes de indígenas isolados e o Ministério Público Federal e a Polícia Federal estão investigando, revelou a procuradoria à agência de notícias.

Os indígenas – conhecidos como flecheiros – teriam sido assassinados em agosto passado, no município de São Paulo de Olivença, na fronteira com Peru e Colômbia, segundo a agência de notícias.

As autoridades não informaram o número de vítimas e como as mortes ocorreram para não prejudicar as investigações, mas a Amazônia Real apurou que ocorreram mais de vinte óbitos.

O Ministério Público investiga uma segunda denúncia, sobre o assassinato de indígenas da isolada tribo dos Warikama Djapar, em maio passado.

Há cerca de duas semanas, o líder indígena Adelson Kora Kanamari disse à Amazônia Real que entre 18 e 21 indígenas teriam sido atacados e assassinados na região do Vale do Javari.

Caso tais relatos sejam confirmados, o Presidente (Michel) Temer e seu governo possuem uma grande responsabilidade por este ataque genocida, aponta o texto, que critica, além disso, os cortes no orçamento da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Todas estas tribos deveriam ter tido suas terras devidamente reconhecidas e protegidas há anos – o apoio aberto do governo àqueles que querem violar territórios indígenas é extremamente vergonhoso, acrescenta.

Em declarações à Amazônia Real, Kanamari explicou que a situação na região está muito crítica. Os invasores são fazendeiros, caçadores, garimpeiros. Muitos isolados estão sendo mortos, mas não sabemos ao certo as datas e nem o número exato de mortos, afirmou.

O território indígena Vale do Javari tem 8,5 milhões de hectares e foi regularizado em 2001, segundo dados da Funai. Situado a quase 1.200 km de Manaus, tem uma população de cerca de 7.000 habitantes.

Também de acordo com a Funai, há ao menos 14 referências de indígenas isolados na área, e cinco etnias contatadas.

A crítica da ONG Survival se soma às críticas que o governo de Michel Temer recebeu no Brasil e no exterior por retroceder em termos ambientalistas e de direitos dos indígenas.
– BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 37672

0 Shares
You May Also Like