Ociosidade da indústria da construção atinge menor nível desde 2015

Redação Redação

A ociosidade da indústria da construção recuou em janeiro para 40%, nível que, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), é o menor desde julho de 2015. De acordo com a sondagem do setor divulgada hoje (28) pela entidade, o nível de utilização da capacidade de operação do setor marcou 60% em janeiro.

Apesar de estar três pontos percentuais abaixo da média histórica para o mês, este percentual está dois pontos acima do registrado em dezembro, e cinco pontos acima do registrado em janeiro do passado.

O nível de atividade e o número de empregados registraram queda em janeiro, atingindo respectivamente 45,6 e 43,9 pontos. Esses indicadores variam de 0 a 100. Valores acima de 50 indicam crescimento e abaixo, queda. Na comparação com janeiro do ano passado, os indicadores cresceram, respectivamente, 6,3 e 5,5 pontos.

O Índice de Confiança do Empresário da Construção caiu, passando de 57 pontos em janeiro para 56,3 pontos em fevereiro. De acordo com a CNI, o fato de o índice seguir acima dos 50 pontos sinaliza confiança dos empresários do setor da construção.

O indicador de expectativa caiu 1,6 ponto, atingindo 59,8 pontos. O indicador de condições atuais aponta para piora das condições correntes de negócio, mantendo-se estável em 49,1.

O indicador de intenção de investimento permaneceu estável em 32,1 pontos em fevereiro. Quanto maior o índice, que varia de 0 a 100, maior é a intenção de investimento.

Edição: Lidia Neves
– BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 53829

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies