Parlamento chinês elege Xi para segundo mandato

0 Shares
0
0
0
0

Xi Jinping foi reeleito neste sábado (17) como presidente da China, para um segundo mandato de cinco anos, com o voto unânime dos delegados.

Menos de uma semana após conseguir uma reforma constitucional que lhe permitirá se reeleger indefinidamente, Xi Jinping, de 64 anos, obteve o voto dos cerca de 3 mil delegados presentes na sessão anual da Assembleia Nacional Popular (ANP).

Xi Jinping se torna assim o presidente chinês com o maior poder em quase três décadas e terá condições de permanecer no comando do país além do período do atual mandato, que termina em 2023.

No domingo passado, a ANP emendou a Constituição que estabelecia um limite de dois mandatos presidenciais de cinco anos cada.

A emenda também introduziu na Constituição o Pensamento Xi Jinping e, em seu artigo primeiro, o papel dirigente do Partido Comunista Chinês (PCC).

Diante da reeleição certa de Xi pela Assembleia Nacional Popular, controlada pelo Partido Comunista, as expectativas recaíam sobre se seu ex-responsável pela luta contra a corrupção Wang Qishan ocuparia a vice-presidência, o que de fato ocorreu.

Wang obteve 2.969 votos a favor e apenas um contrário.

Com Wang como vice-presidente, Xi ganha um aliado formidável para cimentar sua autoridade, no momento em que caminha para se tornar o líder chinês mais poderoso desde Mao Tsé-Tung (1949-1976).

Wang, 69 anos, é conhecido internacionalmente por seu trabalho como representante comercial da China e os analistas acreditam que ajudará Xi a administrar as relações com os Estados Unidos, cada vez mais tensas diante da ameaça de uma guerra comercial, agravada com a recente decisão do presidente Donald Trump de tarifar as importações de alumínio e aço.

Apenas um delegado votou contra Wang.

O novo braço direito de Xi liderou a cruzada contra a corrupção na China, ao presidir a Comissão Central de Inspeção Disciplinar, que puniu 1,5 milhão de funcionários públicos nos últimos cinco anos, desde pequenos quadros até líderes regionais e generais.

Wang substituirá Li Yuanchao, um político relativamente modesto que representou Xi em suas viagens aos exterior.

Segundo Hua Po, um especialista em política chinesa, Wang tem talento e capacidade e sua eleição como vice-presidente está orientada em consolidar seu poder.

Xi já é um homem muito poderoso. O problema é que tem pouca gente que lhe seja leal e competente. Então precisa conservar Wang para ter tempo para cultivar mais gente de talento, avaliou Hua.
– BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 56463

0 Shares
You May Also Like