Washington e Seul limitarão as manobras conjuntas

Redação Redação

Coreia do Sul e Estados Unidos reduzirão o alcance de suas manobras anuais conjunta, levando em consideração a aproximação diplomática com o regime norte-coreano, informou a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Os exercícios militares conjuntos provocam um conflito com o regime de Pyongyang. A Coreia do Norte, país dotado com armamento nuclear, considera as manobras um teste para uma invasão de seu território e tem o hábito de reagir com provocações, o que aumenta ainda mais a tensão.

Mas as duas Coreias e os Estados Unidos estão em pleno processo de distensão desde os Jogos Olímpicos de Inverno, organizados na Coreia do Sul.

Seul anunciou um projeto de reunião de cúpula entre as Coreias em abril. Também está em análise uma possível reunião histórica entre Coreia do Norte e Estados Unidos até o fim de maio.

As manobras militares foram adiadas para evitar que acontecessem durante os Jogos Olímpicos de Pyeongchang.

A Yonhap citou uma fonte militar segundo a qual os exercícios, batizados como Foal Eagle, manobras que reúnem dezenas de milhares de soldados, devem começar no início de abril, com duração de um mês, ao invés de dois.

As armas estratégicas americanas, como os bombardeiros B-1B e os grupos navais de ataque, que se deslocam perto da península durante os períodos de tensão, não participarão desta vez das manobras, informou a Yonhap.

Outro exercício, denominado Key Resolve e realizado com simulações de computador, começará na próxima semana.
– BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 56206

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies