Ministro de Minas e Energia diz que governo trabalha para retomada do setor após pandemia

Os impactos da pandemia do coronavírus no ambiente de negócios do setor de energia foi discutido nesta quinta-feira (7) em videoconferência promovida pelo Tribunal de Contas da União.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o governo vem trabalhando para a retomada do setor e que estuda novas ações para manter o País como destino de negócios nessa área. “Para que a gente tenha maior competitividade e sejamos um mercado atraente para os investidores,” afirmou.

O ministro explicou que a Pasta montou comitês executivo e setoriais para monitorar mercados, recepcionar demandas, definir prioridades e propor ações de caráter emergencial, além de se preparar para a retomada.

Segundo ele, nos últimos 50 dias foram realizadas 85 reuniões formais com 87 instituições e agentes do setor para tratar de medidas e ações de enfrentamento à crise. “Confiante que as medidas estão sendo adotadas dentro do nível adequado e estamos trabalhando juntos para que a gente saia dessa crise nas melhores condições”.

Com a pandemia, os primeiros desafios encontrados pelo ministério foram: queda da demanda e aumento da inadimplência do setor elétrico; queda da demanda dos combustíveis e no preço do petróleo e queda da demanda e restrições que paralisaram o setor mineral.

“É uma crise incomparável e sem precedentes, no mundo, que exigiu que nós aperfeiçoássemos a nossa governança e estabelecêssemos métodos e processos para lidar com esse período”, ressaltou. “Estamos adotando ações emergenciais. A prioridade do ministério é preservar a saúde dos setores ligados ao ministério”, disse Beto Albuquerque.

Energia
Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, houve uma redução de 20% no consumo de energia elétrica entre os meses de março e abril, o que significa, por exemplo, o consumo de toda região nordeste. Além da queda na demanda, o setor registrou aumento de 12% na inadimplência, um impacto de R$1,8 bilhões para as distribuidoras.

Bento Albuquerque também falou das ações do ministério que contribuíram para manter a saúde econômica e financeira de toda cadeia. “Houve, por exemplo, a isenção do pagamento da conta de energia para nove milhões de pessoas de baixa renda, com um aporte de R$ 900 milhões de recursos do Tesouro Nacional para a cadeia”, destacou.

Combustíveis

Bento Albuquerque citou ainda a queda na demanda e no preço dos combustíveis em abril. Em comparação com o mesmo período de 2019, houve uma redução de 20% no consumo de diesel, 35% na gasolina e 49% no etanol. Por outro lado, o consumo do gás de cozinha registrou aumento de 12%, devido ao confinamento. De acordo com o ministro, o governo trabalha para garantir o abastecimento no setor de petróleo e gás, sem interferir na política de preços.

Mineração

Na indústria mineral, um dos setores de maior impacto na balança comercial brasileira, o ministro de Minas e Energia informou queda de 18% no volume de exportações. E disse que 79% das empresas optaram por antecipar as férias dos funcionários.

Com informações da Agência Brasil