Governo Federal inaugura alas hospitalares para tratar indígenas com Covid-19

Redação Redação

Quatro alas hospitalares dedicadas à população indígena com Covid-19 foram inauguradas com recursos do Governo Federal, segundo o Ministério da Saúde. As unidades estão em dois estados: três no Pará e uma no Acre e somam, no total, 70 leitos nas três unidades.

No Pará, os povos indígenas atendidos pelos Distritos Especiais Indígenas Guamá- Tocantins, Rio Tapajós, Kayapó do Pará e Altamira foram os principais beneficiados com o atendimento médico. Ao todo, uma população aldeada de cerca de 40 mil indígenas será beneficiada com a iniciativa.

Em Belém, onde há maior fluxo de pacientes indígenas encaminhados para tratamento especializado, há 50 leitos disponíveis na ala indígena. Em Marabá, são 10 leitos exclusivos para pacientes indígenas e em Santarém mais 10 leitos serão disponibilizados.

Já no Acre, a estrutura, montada no Hospital de Campanha de Rio Branco, tem mil metros quadrados e conta com 100 novos leitos de enfermaria, além de posto de enfermagem, farmácia, entre outros espaços. Após a pandemia, a unidade ficará disponível para ser utilizada pela saúde pública do Acre, reforçando atendimentos e aumentando o número de leitos hospitalares na capital.

Atendimento à comunidade indígena
Em maio, foram inauguradas alas como essas no Hospital Nilton Lins, em Manaus (AM) e no Hospital Universitário da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), em Macapá (AP). – Ministério da Saúde – I3D 99

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies