Marlúcio Pereira promove campanha contra a construção de um novo semiaberto em Aparecida de Goiânia

A informação de que o Governo Estadual pretende ampliar o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia não agradou em nada a população aparecidense.
O ex-deputado estadual Marlúcio Pereira enumera que, ao longo dos anos, Aparecida vem se transformando em um depósito de presídios, já que o município sedia a Casa de Prisão Provisória, Penitenciária Coronel Odenir Guimarães (antigo Cepaigo), e a Penitenciária Feminina Consuelo Nasser.
Entendemos que o Estado tem seu papel de punir seus infratores e reeducá-los socialmente, mas acho que Aparecida, já deu sua ajuda ao Estado, vejo que agora é a vez de outro Município assumir esta tarefa, desabafa Marlúcio.
Marlúcio informou que está liderando um movimento junto com varias associações da bairros, empresas, lideranças politicas de todas as esferas, para impedir esta obra. O ex-parlamentar questionou ainda que o governo do Estado não ouviu as lideranças sobre essa obra e que suas ações vem na contramão do desenvolvimento de Aparecida de Goiânia
O Governo informou que a obra, inicialmente, irá abranger 1500 vagas. Tratativas estão sendo realizadas para o projeto.“ A previsão é que o projeto para a obra seja concluído o mais breve possível, em até 30 dias”, ressalta Coronel Agnaldo Augusto da Cruz, Diretor-Geral da DGAP. O projeto para a nova unidade prisional está sendo idealizado junto a Goinfra. Segundo a Gerência de Engenharia, a nova unidade será composta por quatro módulos de carceragem, galpões industriais, além de espaço para triagem, isolamento e unidades de saúde educacional e assistência penal.