Neste domingo (06), o Grande Prêmio Brasil de Atletismo, válido pelo World Athletics Continental Tour Silver, vai ser realizado em São Paulo a partir das 13h30, na nova pista do estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa. Participarão do evento 107 integrantes da elite do atletismo verde e amarelo e 46 atletas estrangeiros.

Na manhã deste sábado, três atrações do GP concederam entrevista coletiva virtual. Um dos atletas que falou com os jornalista foi o catarinense Darlan Romani, já classificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Recordista sul-americano do arremesso do peso teve excelentes resultados em 2019, como os títulos pan-americano e do mundial militar, além do quarto lugar no mundial. “Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma. Construí um setor de arremesso ao lado da minha casa e consegui equipamentos de musculação emprestados. No GP quero um bom resultado, apesar de todos os problemas. O objetivo, claro, está voltado para os Jogos de Tóquio, disse o quarto colocado no Ranking Mundial de 2019, com a marca de 22,61m, obtida na vitória no Steve Prefontaine Classic, em Stanford, nos Estados Unidos.

“Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma

“Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma

“Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma, disse Darlan Romani. – Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br
Os velocistas Paulo André Camilo de Oliveira e Vitória Cristina Rosa também conversaram com jornalistas sobre a expectativa de competir neste domingo, no primeiro meeting internacional dos três no difícil ano de 2020. Paulo André improvisou os treinos em Vila Velha, no Espírito Santo, onde mora. O GP marca a estreia em 2020 do integrante da equipe brasileira campeã mundial do 4×100 no torneio específico de revezamentos em 2019. “Não estou na melhor forma, mas tenho velocidade guardada em mim. De repente posso surpreender. Fiz um pedido especial para o meu treinador (o pai, Carlos Camilo) para participar do evento. Estou sentindo falta da adrenalina e do clima de competição”, disse. “Acordo todo o dia com o sonho de ser campeão olímpico, de ser recordista mundial. Sempre almejo um grande objetivo. Se vou ser, não sei, mas treino para isso”, comentou o paulista de 22 anos.

Já Vitória Rosa, campeã sul-americana dos 100m e dos 200m e dona de três medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 (um ouro e duas pratas), competiu na quarta-feira (2) no Torneio de Atletismo Paulista, em Campinas, obtendo 11seg31 na semifinal (venceu a prova, com 11seg34). “Estou me sentindo bem e quero correr melhor no GP e no Troféu Brasil”, disse referindo-se a competição marcada para o período de 10 a 13 de dezembro, também no Centro Olímpico. “O Nakaya (o treinador Katsuhico Nakaya) sempre me diz que a possibilidade de correr abaixo dos 11 segundos está nas minhas pernas. Quero correr abaixo também dos 22.50 nos 200 m, quer considero a minha melhor prova e chegar à final olímpica”, complementou.

Vitória Rosa, campeã sul-americana dos 100m e dos 200m se disse pronta para o GP.

Vitória Rosa, campeã sul-americana dos 100m e dos 200m se disse pronta para o GP.

Vitória Rosa, campeã sul-americana dos 100m e dos 200m se disse pronta para o GP. – Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br
Entre outras atrações, Augusto Dutra, campeão sul-americano do salto com vara, Rodrigo Nascimento (100m), Altobeli Santos da Silva (3.000m com obstáculos), Rosangela Santos (100m), Keila Costa (salto em distância) e Núbia Soares (salto triplo) também estarão no GP.

Entre as estrangeiras, chamam a atenção a equatoriana Angela Tenório (ex-recordista sul-americana dos 100m, com 10.99), a norte-americana Evonne Britton (12.78 nos 100m com barreiras), as colombianas Yennifer Padilla (ouro nos 400m no Pan de Guadalajara) e Valeria Cabezas Caracas (ouro nos 400m com barreiras nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Buenos Aires), a queniana Roseline Chpkurui (tem 9:08:23 nos 3.000m com obstáculos), a cubana Liuba Maria Zaldivar (desde o ano passado compete pelo Equador e tem o recorde pessoal de 14,51m), e a portuguesa Auriol Dongno (arremessou 19,53m este ano no peso).

No masculino, destacam-se o turco Emre Zafer Barnes (10.08 nos 100m), o colombiano Fanor Escobar (13.56 nos 110m com barreiras), o queniano Wilberforce Kones (8:22:55 nos 3.000m com obstáculos), o argentino Germán Chiaraviglio (5,75m no salto com vara) e o chileno Daniel Piñeda (8,08m no distância), também entre outros.

Sem a presença de público, por causa das limitações impostas pela pandemia de covid19, o GP terá 21 provas no programa (11 no masculino e 10 no feminino). A reabertura da janela para a obtenção dos índices para os Jogos Olímpicos de Tóquio no dia 1º de dezembro aumenta ainda mais a importância do evento. As disputas serão transmitidas ao vivo no Canal Atletismo.

– Juliano Justo – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional – São Paulo – YWD 12876