O crédito rural manteve desempenho favorável no período de julho a novembro deste ano, quando as contratações atingiram R$ 108,75 bilhões, aumento de 19% em relação à igual período da safra anterior. De acordo com o Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2020/2021, o destaque dos cinco meses da aplicação dos recursos do Plano Safra 2020/2021 foi para os financiamentos de investimento, que aumentaram 46%, situando-se em R$ 32,4 bilhões, e para os créditos de custeio, cujo valor contratado foi de R$ 60,27 bilhões, alta de 13%.



As operações com industrialização ficaram em R$ 6,6 bilhões, incremento de 9%. O crédito para comercialização teve queda de 7%, em resposta à continuidade do cenário de preços agrícolas elevados.

As contratações de crédito de investimento pelos programas Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) aumentaram 7,3% e 13,4%, respectivamente. A participação desses programas no total de crédito rural foi de R$ 32,6 bilhões (30%) e as contratações pelos demais produtores se situaram em R$ 76,09 bilhões (70%).

O diretor do Departamento de Crédito e Informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wilson Vaz de Araújo, enfatiza que os financiamentos de custeio e de investimento feitos com recursos subvencionados, no Pronamp, no valor de R$ 9,84 bilhões, respondem por 67% do total contratado nesse programa, e que no Pronaf essa participação foi de R$ 11,56 bilhões ou 64% do total contratado, evidenciando o elevado nível de apoio conferido a esses produtores.


Com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

– Ag. Brasil – YWD 12779