O Ministério da Justiça e Segurança Pública firmou parceria com a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) para disponibilizar 75 cursos à distância aos profissionais que integram o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP). Os cursos, nos idiomas inglês, francês, espanhol e árabe, serão ministrados por meio da plataforma da instituição internacional, a Interpol Global Learning Centre (IGLC).

Entre as opções de cursos estão Linguagem corporal e sinais de mentira em um interrogatório policial, “Terrorismo Radiológico e Nuclear – Inteligência em fontes abertas nas investigações, “Gestão Radiológica da Cena do Crime”, Investigações sobre correio eletrônico, Investigação sobre Drogas”.

O diretor de Ensino e Pesquisa da Secretaria de Gestão e Ensino (Segen), Marcos de Araújo, ressalta a importância da internacionalização educativa. “Ao investir na globalização educativa buscamos contribuir para o desenvolvimento das habilidades e aptidões dos nossos profissionais de segurança pública por meio do conhecimento de outras perspectivas sobre problemas e desafios comuns a todos.”

O acordo permitirá, ainda, um intercâmbio com os profissionais das instituições policiais dos 194 países que integram a Interpol.

Primeira fase
Na primeira fase, os cursos serão direcionados aos profissionais da Segen e da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Posteriormente, serão contempladas todas as forças de segurança dos estados.

Interpol
A Organização Internacional de Polícia Criminal, conhecida como Interpol, fornece suporte de investigação, conhecimento e treinamento para a aplicação da lei em todo o mundo na luta contra três áreas principais de crime transnacional: terrorismo, crime cibernético e crime organizado.

O amplo mandato abrange praticamente todo tipo de crime, incluindo contra a humanidade, pornografia infantil, tráfico e produção de drogas, corrupção política, violação de direitos autorais e crime do colarinho branco. A agência também ajuda a coordenar a cooperação entre as instituições policiais do mundo por meio de bancos de dados criminais e redes de comunicação.


Com informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública

– Ag. Brasil – YWD 12781