Após a confirmação de que novas cepas do coronavírus encontradas em Manaus estão circulando em Araraquara, a prefeitura elaborou um novo decreto municipal endurecendo as medidas de isolamento social no município. Os leitos de enfermaria e de unidade de terapia intensiva (UTI) operam próximos da ocupação total, informou a prefeitura da cidade. Araraquara fica a 270 quilômetros (km) da capital paulista.

A principal alteração que o Decreto nº 12.485 traz é a restrição de circulação de veículos e de pessoas pelas ruas. Somente poderá circular quem trabalha em um serviço considerado essencial (como supermercados, farmácias, postos de combustíveis, entre outros, e quem for utilizar um desses serviços. O decreto entra em vigor hoje (15) e tem efeito até o dia 1º de março. Segundo a prefeitura, equipes farão ações pelas ruas para a orientar sobre as novas medidas.

Outra mudança é a proibição de que o comércio em geral utilize o sistema drive-thru. Somente estabelecimentos que já possuem essa estrutura física poderão continuar utilizando essa modalidade de venda, como é o caso de algumas redes de lanchonetes e pizzarias. A venda por delivery no setor de alimentação está liberada.

Enquanto Araraquara continuar na Fase Vermelha do Plano São Paulo, ficarão proibidos os atendimentos presenciais nos seguintes estabelecimentos: shopping centers, galerias e estabelecimentos congêneres; comércio e serviços em geral; bares e restaurantes; salões de beleza e barbearias; academias de esportes de todas as modalidades, centros de ginásticas e estabelecimentos congêneres; educação complementar não regulada; eventos, convenções e atividades culturais; e atividades de construção civil, incluídas as lojas de tintas e de materiais para construção.

Poderão funcionar, até as 20h, supermercados, hipermercados, açougues, padarias, feiras livres, cerealistas e congêneres. O consumo de gêneros alimentícios no local, no entanto, está proibido, e o estabelecimento deve estipular horário exclusivo para ingresso de idosos. Também podem funcionar até as 20h estabelecimentos de saúde animal, óticas (um cliente por vez) e indústrias, sendo que a lotação máxima dos veículos de transporte próprio de empregados deve ser de 30% e é preciso manter distanciamento de ao menos 3 metros entre um operário e outro na entrada e na saída da indústria.

Também poderão funcionar transportadoras, armazéns e oficinas de veículos automotores (com agendamento e portas mantidas fechadas) e atendimento ao público ou autoatendimento em agências bancárias, cooperativas de crédito ou estabelecimentos congêneres (filas com espaçamento de 3 metros e manutenção de empregado ou segurança durante toda a duração do atendimento).

Não há limitação de horário para o funcionamento de hospitais, clínicas, farmácias, lavanderias e serviços de limpeza. Postos de combustíveis poderão funcionar até as 19h, de segunda a sábado, sendo proibido o atendimento presencial ao público nas lojas de conveniência (exceto naquelas que comportem padarias).Supermercados, hipermercados e demais estabelecimentos de alimentação deverão distribuir senhas na entrada, permitir o ingresso de apenas uma pessoa por família e liberar a entrada de até 30% da capacidade total.

Ocupação de leitos
Segundo o boletim do Comitê de Contingência do Coronavírus divulgado no último sábado (13), Araraquara registra 100% de ocupação dos leitos de enfermaria e 84% dos leitos de UTI, com 201 novos casos confirmados da covid-19.

No final da tarde de sexta (12), o Instituto de Medicina Tropical, órgão vinculado à Universidade de São Paulo, confirmou que cepas do coronavírus encontradas em Manaus e no Reino Unido foram identificadas em pacientes com resultado positivo para covid-19 em Araraquara. As amostras tinham sido enviadas pelo Serviço Especial de Saúde de Araraquara (Sesa) para análise.

Nas últimas semanas, havia a suspeita entre os profissionais de saúde de que uma nova variante do vírus pudesse estar na cidade, já que houve um aumento brusco no número de novos casos, internações e óbitos, além de pacientes mais novos apresentarem complicações e precisarem de internação.

Em apenas 13 dias, fevereiro já é o mês com o maior número de óbitos pela covid-19, com 27 mortes, superando as 24 registradas em todo mês de janeiro. Dois óbitos foram registrados no sábado.

– Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil – YWD 985729