Quem perguntar por Antônio Carlos de Oliveira no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) pode até não descobrir onde ele está na sede do regional. Mas, se perguntar por Bigode, não há servidor nem colaborador que não o conheça. Também, pudera! Bigode é o servidor mais antigo do Tribunal, com 54 anos de casa.

E aqui o termo ‘casa’ é usado com autorização do entrevistado, afinal é assim que ele se sente no TRE-BA. “Digo que o Tribunal é minha primeira família, pois cheguei aos 18 anos. Graças a ele, conquistei, e continuo conquistando, muitas coisas. Tudo o que dei para minhas filhas foi graças ao meu trabalho. Tenho muito orgulho da minha vida no TRE. Sinto falta do Tribunal nos finais de semana. Fiz muitos amigos, aqui é minha vida”, conta Bigode, casado com Maria de Lourdes há 42 anos e pai de Melina (34) e Larissa (36).

Confira aqui o depoimento de Bigode.

Aos 74 anos, atualmente ele é técnico judiciário e trabalha na Seção de Almoxarifado. Mas já atuou como atendente judiciário e guarda auxiliar. O apelido ‘Bigode’ veio antes de sua chegada ao TRE. Jogador de futebol desde os 14 anos, ele confessa que era bravo em campo (e fora dele), e os colegas da equipe, para deixar o clima mais amigável, resolveram brincar com o bigode que ele tinha à época. A fama de durão rendeu também outro apelido: cachorro, “porque eu era bravo como um cachorro, não podiam piscar para mim que eu já brigava”. – Tribunal Superior Eleitoral – YWD 986148