A prefeitura do Rio de Janeiro tem monitorado e notificado organizadores de festas clandestinas marcadas para o período de carnaval e poderá autuar os responsáveis, mesmo que não consiga flagrar e interditar os eventos durante sua realização. As ações estão previstas no Plano de Prevenção e Combate a Aglomerações, que vai vigorar desta sexta-feira (12) até 22 de fevereiro. O plano foi apresentado hoje (11) pelo secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

Segundo o secretário, o trabalho de monitoramento também vai reunir informações após o dia das festas para realizar autuações.

Na hipótese de algum evento ser realizado sem que a prefeitura consiga interditá-lo no momento, teremos a constatação deles diversos meios, e as informações serão usadas como lastro para futuras autuações com base na nossa legislação, disse Carnevale. É importante informar para as pessoas que insistirem em promover eventos que estamos fiscalizando antes, durante e depois.

Com base no monitoramento, que já está em curso, a prefeitura notificou plataformas de venda de ingressos que comercializavam entradas para festas irregulares de carnaval. Essa comercialização é irregular, esse evento é irregular, e essas empresas estão sendo mapeadas e devidamente notificadas, disse o secretário. Ele explicou que, apesar de o foco da fiscalização serem os organizadores dos eventos, existe possibilidade de frequentadores dessas aglomerações serem enquadrados por infrações sanitárias, como a falta do uso de máscara.

Outra medida anunciada é o bloqueio da entrada de ônibus e vans fretadas no município do Rio, a partir das 5h de amanhã. As exceções serão ônibus de empresas que transportem trabalhadores e de veículos de hotéis, com a comprovação de que os passageiros são hóspedes.

Carnevale fez um apelo a quem planeja visitar a cidade: Não venham curtir eventual carnaval no Rio de Janeiro, porque a prefeitura não vai permitir que um eventual carnaval aconteça.

Segundo o secretário, a maior parte dos blocos comprometeu-se a não desfilar ou reunir foliões no período carnavalesco, e aqueles que descumprirem serão descredenciados para o carnaval de 2022. Cerca de mil agentes de diversos órgãos da prefeitura vão trabalhar na fiscalização e poderão apreender caixas de som e equipamentos de qualquer aglomeração com contorno de bloco carnavalesco, inclusive na praia.

Para reforçar a fiscalização dos espaços públicos, a prefeitura contará com as câmeras 24 horas do Centro de Operações Rio. Além disso, pede que a população use o número telefônico 1746 para denunciar infrações. O município terá ainda apoio da Polícia Militar, que participou da elaboração do plano de ação contra aglomerações.

Apesar das restrições ao carnaval, o secretário Brenno Carnevale ressaltou que a cidade não está fechada e que, respeitadas as medidas de prevenção à covid-19, é permitido frequentar bares, restaurantes, espaços públicos, shopping centers e outros estabelecimentos. – Vinícius Lisboa – Repórter da Agência Brasil – YWD 985672