Deputados concluem votação de MP que amplia limite de empréstimos consignados

Redação Redação

A Câmara dos Deputados concluiu a votação da Medida Provisória 1006/20, que aumenta de 35% para 40% o limite para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) contratarem crédito consignado com base no valor do benefício. Servidores públicos federais e estaduais e trabalhadores com carteira assinada (CLT) também poderão usufruir do novo limite. A matéria será enviada ao Senado.

Em seguida, a sessão foi encerrada.

Segundo o texto aprovado, do deputado Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), o novo limite, que tinha acabado em dezembro de 2020, passará a ser 31 de dezembro de 2021. Ele também incluiu a possibilidade de suspensão das parcelas do empréstimo por quatro meses, com a manutenção dos juros contratados.

Confira os destaques votados e rejeitados pelo Plenário:

– destaque do Novo pretendia tornar permanente o limite de 40% do crédito consignado;

– emenda da deputada Rejane Dias (PT-PI) pretendia determinar que as instituições financeiras denunciassem à polícia, ao Ministério Público ou ao Conselho do Idoso sobre suspeita de exploração de idosos ou pessoas com deficiência na concessão de empréstimos;

– emenda do deputado Enio Verri (PT-PR) autorizava o INSS a antecipar um salário mínimo por três meses aos pleiteantes de auxílio-doença e de aposentadoria por invalidez até a realização de perícia;

– emenda do deputado Ricardo Silva (PSB-SP) pretendia garantir a suspensão do pagamento de parcelas devidas no crédito consignado durante a pandemia de Covid-19;

– emenda da deputada Talíria Petrone (Psol-RJ) pretendia garantir também a suspensão do pagamento do crédito consignado com quitação dessas parcelas em até três anos após a calamidade pública da Covid-19;

– emenda do deputado Pompeo de Matos (PDT-RS) pretendia garantir a suspensão, por quatro meses, do pagamento dos empréstimos de crédito consignado. – Câmara dos Deputados – YWD 989161

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies