Vendas de motocicletas caem 17% no primeiro trimestre no país

0 Shares
0
0
0
0

As vendas de motocicletas novas no país caíram 16,8% no primeiro trimestre de 2021 em comparação a igual período do ano passado. Foram vendidas 205.444 unidades nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2021, ante 246.848 motocicletas licenciadas no mesmo período do ano passado. Os dados, divulgados hoje (14), são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Em março, foram vendidas 62.262 motocicletas, alta de 8,5% na comparação com fevereiro, mas uma retração de 17,4% em relação ao mesmo mês de 2020, quando foram licenciadas 75.372 unidades.

“O varejo sofreu as consequências da suspensão temporária das operações de algumas fabricantes em janeiro e fevereiro. Além disso, diversas empresas associadas precisaram adequar seus turnos em função do toque de recolher do estado do Amazonas devido à pandemia. A recuperação da produção alcançada em março deve refletir positivamente nos resultados de abril”, destacou o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

Exportações
Já as vendas para o exterior tiveram forte alta no primeiro trimestre: as exportações totalizaram 13.165 unidades – aumento de 92,9% na comparação com o mesmo período do ano passado (6.825 motocicletas). Os Estados Unidos foram o principal destino, com 3.838 unidades, seguidos pela Argentina (3.104 unidades), e a Colômbia (1.616 unidades).

Em março, foram exportadas 6.355 motocicletas, 116,5% a mais que o registrado em fevereiro (2.926 unidades) e 132,1% superior ao mesmo mês do ano passado (2.730 unidades).

De acordo com a Abraciclo, a maior parte das motocicletas exportadas é de alto valor agregado como, por exemplo, modelos off-road. “Isso mostra o quanto a motocicleta produzida no Brasil é tecnológica e está alinhada com as principais demandas globais do setor de duas rodas”, ressaltou Fermanian.

Produção
Nos três primeiros meses do ano, saíram das linhas de montagem brasileiras 237.201 motocicletas, o que corresponde a uma queda de 20,3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram produzidas 297.599 unidades.

Apesar do resultado ruim no trimestre, o setor deu sinais de recuperação em março, quando foram produzidas 125.556 motocicletas, 116,4% superior ao alcançado em fevereiro (58.014 motocicletas) e 22,1% maior na comparação com o mesmo mês do ano passado (102.865 unidades).

“Depois de dois meses as fábricas retomaram as operações normalmente, seguindo os protocolos sanitários. Com isso, voltamos ao patamar de produção que deve se manter nos próximos meses e esperamos atender à demanda do mercado, reduzindo a fila de espera por motocicletas”, disse o presidente da Abraciclo.

Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

0 Shares
You May Also Like