Amauri Ribeiro cita matéria que repercute discurso dele sobre questão com vereadora de Goiânia

Redação

Primeiro a discursar durante o Pequeno Expediente da sessão híbrida dessa quinta-feira, 27, o deputado Amauri Ribeiro (Patriota) leu, da tribuna, uma matéria onde o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo, o convocava para depor na Comissão Especial de Inquérito que investiga crimes ambientais, depois dele ter citado suposto crime de maus tratos a animais, em plenário, e por, segundo a reportagem, ter destratado a vereadora de Goiânia, Luciula do Recanto.
Amauri disse que, ao contrário do que teria dito Romário, ele não defendeu maus tratos a animais, muito menos destratou Luciula, mas apenas repudiou a ação da vereadora, que “fez abuso de poder e vai responder na justiça por isso”, disse.
O parlamentar apontou ainda diversos processos respondidos pela vereadora, por desaparecimento e maus tratos de animais. Em seguida, tornou a enfatizar que a Guarda Civil Metropolitana não tem poder de polícia e não pode atuar como tal.

Você pode gostar

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies