A história do tradicional Mercado Popular da rua 74 é retratada nas redes sociais pela campanha “Coisa da Gente”

0 Shares
0
0
0
0

Lugar de comida boa, barata e de diversão regada a música de vários estilos, o Mercado da Rua 74 no Centro de Goiânia, foi construído na década de 50. Ele foi entregue aos goianienses, mais precisamente, em 1953, num tempo em que aquela região ainda nem havia sido anexada ao Setor Central e se chamava Bairro Popular. Nessa década, vários outros estabelecimentos desse tipo foram construídos em bairros diversos da cidade, como em Campinas e no Setor Pedro Ludovico.
Por algum tempo, os mercados foram centros comerciais, onde se achava de tudo um pouco. Com o crescimento da cidade, foram ficando esquecidos, tanto pela população, quanto do poder público. Se tornaram lugares sem muitos atrativos para o público em geral. Até que, nos anos 2000, um projeto da Prefeitura de Goiânia reformou e revitalizou esses espaços, dando nova vida os mercados.
No caso do Mercado da 74, o processo de reforma foi um pouco diferente. Inicialmente a reforma seria feita em 2004, junto com a revitalização do Centro da Capital, mas a obra não chegou a ser executada por falta de recursos. Em 2005, depois de alterações no projeto, a ideia foi retomada pelos organizadores da Casa Cor Goiás. Um convênio foi firmado com a prefeitura e as obras, finalmente, foram iniciadas em 2006.
Com a entrega da reforma, o local passou a ter eventos culturais, inicialmente aos fins de semana e, tempos depois, todos os dias da semana. A área interna virou um palco para apresentações de diversos estilos musicais. Com a pandemia, os shows foram interrompidos, mas no início do mês, com os decretos de flexibilização, estão voltando, gradativamente e, claro, com o cumprimento todos os protocolos de segurança sanitária, para evitar a transmissão da covid-19.
Em 2018, foi dado mais um passo para o reconhecimento do Mercado da 74 como patrimônio do povo goiano. Um projeto de lei, aprovado pela Câmara Municipal, mudou a denominação do mercado para Centro Cultural do Mercado Popular da 74. Na prática, não muda muita coisa, mas ajuda a reafirmar a necessidade de preservação do bem histórico e do lugar como opção de lazer, diversão e cultura, acessível a toda população da cidade. E se você gostou de conhecer melhor a origem do Mercado Popular da Rua 74, não deixe de acompanhar as publicações da série “É coisa da gente”. A campanha mostra manifestações genuinamente goianas, valorizando, assim, nossa cultura, nossa história. As postagens são feitas todas as sextas-feiras no Facebook, Twitter e Instagram.

0 Shares
You May Also Like