PL1951/21 prevê 30% das cadeiras para mulheres e Brasil Certo prepara este público para os pleitos

Eleições de 2022 terão novo cenário com mais mulheres concorrendo

0 Shares
0
0
0
0

Formar mulheres conscientes e aptas para ocuparem cargos políticos e assim, aumentar o protagonismo feminino na gestão pública do País é o principal objetivo do Brasil Certo, iniciativa do PSL Mulher, por meio de cursos, capacitações e workshops gratuitos via internet.

Presidido pela senadora por Mato Grosso do Sul, Soraya Thronicke, o Brasil Certo quer mudar o Brasil, onde, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 51,8% da população é formada por mulheres. Elas também são maioria na hora de escolher nossos representantes, equivalendo a 52% dos eleitores e paradoxalmente, no cenário político, ainda têm pouca representatividade.

De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), nas últimas eleições municipais, apenas 12,1% das Prefeituras são geridas por mulheres. Já para as Câmaras Municipais, dos eleitos, 84% são homens e apenas 16% mulheres.

Contudo, um novo cenário se desenha a partir de 2022 com a aprovação do PL 1951/2021, que prevê o aumento progressivo de mulheres na Câmara Federal, Assembleias Legislativas, Câmaras Municipais e Câmara Distrital no Brasil, até chegar no mínimo de 30% das vagas em 2040.

Já nas próximas eleições, o texto do Projeto de Lei prevê 18% de ocupação das cadeiras por mulheres, subindo de forma escalonada durante os pleitos, para 20%, 22%, 26% até chegar a 30%.  Outra medida prevista é a garantia de, no mínimo, 30% dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha para as candidaturas proporcionais.

“O Projeto Brasil Certo do PSL Mulher começa com um impulso muito grande após a aprovação no Senado Federal do PL 1951, que garante em 2022 a porcentagem de cadeiras efetivas e não só percentual feminino nas eleições. Aprovado quase que por unanimidade, isso é um marco na política brasileira”, explica a presidente do PSL Mulher, senadora Soraya Thronicke.

Diante deste novo momento, muitas mulheres reforçaram seu compromisso com a política, ao participarem do Fórum Brasil Certo, realizado em 16 de julho, em Brasília.

 

A empresária e economista em Teixeira de Freitas (BA), Climeria Paraguassú foi uma das participantes. Vereadora suplente, cresceu em ambiente político e compreende a importância da integração feminina na gestão. “A política é o meio mais curto de mudar a sociedade. Quanto melhores as pessoas se apresentarem, maiores as chances dessa mudança ocorrer positivamente. Como cidadão, o brasileiro evoluiu muito e passou se sentir parte do processo. A mulher ainda tem um caminho longo a percorrer e deve olhar para a outra, não como sua concorrente, mas como alguém que irá representa-la e por isso, percebo como excelente este projeto Brasil Certo, pois, oferece condições reais de preparo e competitividade para o público feminino”, avalia.

Destacando a preparação das mulheres que integram o partido, a presidente do PSL Mulher no Acre, Janaína de Souza Dantas, explica que as mulheres que ingressam no ideal partidário, se dedicam e trazem ideais uma sociedade melhor. “As mulheres que ingressam no partido estudam o estatuto, sabem o que é liberalismo e vêm com visão futura de um partido que apoie causas que abra campo profissional para nós e nossas gerações. Todas buscam conhecimento e trocam informações. A senadora Soraya foi certeira neste projeto Brasil Certo, as mulheres estavam ansiosas por novidades. Todas têm vontade de mudar seu cantinho, sua cidade, mas muitas não tinham esse apoio que a senadora está nos dando”, pontua.

Para participar dos cursos e capacitações do Brasil Certo, basta acessar o site www.brasilcerto.com.br.

“Esse é o momento de voltar a sonhar e acreditar que vamos nos reconstruir, e nada se reconstrói sem uma mulher. O Brasil Certo vai dar um start neste importante momento da política. Acredito que vamos conquistar mulheres, fazer com que confiem no seu potencial e dar todo o suporte para que elas sejam eleitas. Queremos candidaturas legítimas e ter mulheres preparadas com este projeto que trabalha com lideranças nos bairros, nas cidades, por meio de uma corrente do bem, com cursos e aulas, procurando soluções para as mulheres brasileiras”, finaliza a presidente do PSL Mulher, Soraya Thronicke.

 

Com informações de FABIANE SATO

0 Shares