Prefeitura entrega em setembro primeiro dos 5 novos eixos viários de Aparecida

0 Shares
0
0
0
0

A pavimentação do trecho de 7 quilômetros do Eixo Leste-Oeste 04, na Região Leste de Aparecida, deve ser concluída neste mês de setembro. Foi o que adiantou hoje (11) o prefeito Gustavo Mendanha ao vistoriar as obras da via, que ligará a Avenida Santana, na altura do Novo Olinda, ao novo Câmpus da Universidade Federal de Goiás.

Com investimento de R$ 7,384 milhões, a construção do Eixo Leste-Oeste 04 está na fase de terraplanagem, etapa na qual são feitos também serviços de topografia.

De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra), 40% das obras já estão concluídas. Além do asfaltamento, a construção do Eixo Leste-Oeste 04 contempla a execução da drenagem, bem como meio-fio, bueiros e sarjetas.

Depois que o trecho do Eixo-Leste 04 estiver finalizado, a Prefeitura de Aparecida asfaltará também a área interna e o estacionamento do Câmpus da UFG, localizado no Bairro Santo Antônio, numa das extremidades do novo eixo estruturante.

O prefeito Gustavo Mendanha lembrou que, ao pavimentar a área interna da UFG, a Prefeitura de Aparecida cumprirá um compromisso feito pelo ex-prefeito Maguito Vilela. “Ele sonhou com a UFG em Aparecida, foi até o governo federal, e eu, como presidente da Câmara Municipal, na época, participei dessas reuniões. Então, ao estar aqui como prefeito vendo esse sonho realizado, me sinto contemplado”, disse o gestor.

Gustavo afirmou também que a construção do Eixo Leste-Oeste 04 proporcionará abertura de novos postos de trabalho, criação de mais empresas, de redes de comércios e um novo arranjo econômico na Região Leste de Aparecida. E citou que a localidade tem potencial para atrair empreendimentos de grande porte, como o aeroporto Antares e um condomínio residencial já em implantação em frente ao complexo aeronáutico.

Vice-prefeito de Aparecida, Vilmar Mariano ressaltou que a entrega do Eixo Leste-Oeste 04 vai contribuir também para acelerar as obras do Polo Aeronáutico Antares, que são financiadas e executadas pelo setor privado, e para viabilizar o início das atividades na UFG. “Aparecida está com obras em pleno vapor, mesmo neste tempo atípico, de pandemia. Na contramão do País, estamos com tudo funcionando”, disse Vilmar.

0 Shares
You May Also Like