Prefeitura investe no esporte e atletas aparecidenses se destacam até no exterior

0 Shares
0
0
0
0

As medalhas conquistadas pela ginasta Rebeca Andrade em Tóquio provam que os projetos sociais – onde ela começou a carreira – podem levar a um futuro vitorioso no esporte e na vida. Por isso, a Prefeitura de Aparecida segue a cartilha à risca, investindo em ações para fomentar o interesse de crianças, jovens e adolescentes pelo esporte, que é sinônimo de saúde, bem-estar, cidadania, lealdade e senso de coletividade.

Numa das principais iniciativas de apoio à formação esportiva, a Prefeitura de Aparecida faz chamamentos públicos para que agremiações privadas de modalidades como futebol, vôlei, basquete e futsal trabalhem pelo município ensinando o esporte e representando a cidade em competições regionais, nacionais e internacionais.

Os chamamentos ocorrem a cada dois anos. Depois de preencherem os requisitos do edital e terem os contratos assinados, as instituições esportivas recebem aporte público para financiar durante 24 meses os serviços prestados à cidade. Entre eles estão o ensino nas escolinhas, fornecimento de uniformes e transporte dos atletas.

A equipe da Aparecidense é um dos clubes contemplados pelo chamamento público. No último aporte, o clube recebeu do município um investimento de R$ 5,245 milhões. A verba é usada para pagar salários de equipes técnicas, custear a manutenção de campos e outras estruturas físicas e garantir, assim, o atendimento de 1.200 crianças e adolescentes matriculados nas escolinhas de futebol da Aparecidense.

O repasse da Prefeitura de Aparecida, que na média mensal chega a R$ 218 mil, é usado também para cobrir despesas de 200 atletas do futebol nas categorias sub 13, sub 15, sub 17 e sub 20, além da equipe profissional, que disputa o Brasileiro D, a Copa do Brasil e a Copa Verde; e do time do basquete em cadeira de rodas.

“Eu agradeço muito ao prefeito Gustavo Mendanha por essa ajuda, que vem desde o nosso saudoso ex-prefeito Maguito Vilela. São milhares de adolescentes beneficiados por esse trabalho, que é um trabalho social também, porque o esporte tira o jovem da rua, da marginalidade”, diz o presidente da Aparecidense, Elvis Mendes.

O dirigente ressalta que o investimento feito pela Prefeitura de Aparecida ajuda a garantir diretamente os rendimentos de 62 famílias de 32 funcionários técnicos e administrativos e de mais 30 atletas da equipe profissional. “Ou seja, são cerca de 300 pessoas que, com os repasses feitos religiosamente pela Prefeitura de Aparecida, tiveram o seu sustento garantido nesses dias difíceis da pandemia”, completa Elvis.

Cidade representada até na China

Secretário de Esportes, Lazer e Juventude de Aparecida, Gerfeson Aragão explica que o município, através da Procuradoria, do Controle Interno e da Secretaria de Esportes, confere rigorosamente a prestação de contas apresentada pela Aparecidense e demais instituições contempladas no chamamento público. “Esse recurso é muito bem aplicado, muito bem dividido e muito bem aproveitado”, garante Gerfeson.

O gestor público afirma que o chamamento público é amplo e aberto, e é divulgado em toda a imprensa do município. Gerfeson informa que, por determinação do prefeito Gustavo Mendanha, os chamamentos públicos serão ampliados para fomentar também outras modalidades, como artes marciais, por exemplo.

“Esses chamamentos requerem do prefeito muita coragem e determinação. E ele estava certo quando decidiu implantá-los. Agora, os resultados estão começando a aparecer. Nós temos atleta de 20 anos que foi medalha de bronze no Sul-americano de Atletismo. Tudo com investimento da Prefeitura. Temos atletas que vão para a China, para os Estados Unidos e para Brasília disputar campeonatos”, detalha o secretário.

Gerfeson Aragão cita ainda o programa Aparecida Compete, criado na gestão do prefeito Gustavo Mendanha para ajudar financeiramente atletas de alto rendimento em torneios disputados em outras regiões de Goiás, no Brasil e no exterior. A iniciativa, segundo o secretário de Esportes, beneficia hoje 300 atletas, que recebem R$ 1.500 para competir dentro do Brasil e R$ 3.500 para ajudar nas viagens para torneios fora do país.

0 Shares
You May Also Like