Assembleia Legislativa promoverá palestras sobre os cuidados necessários para prevenir o câncer de mama nesta 3ª-feira

0 Shares
0
0
0
0
0
0

A Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) por meio da seção de Serviço Social da Casa realiza nesta terça-feira,18, às 9h no auditório da Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Alego (CCJ), palestras que contemplam a programação destinada a celebração do Outubro Rosa. O evento vai contar com a presença de médicos especialistas que vão palestrar sobre temas relacionados ao câncer de mama.
Na ocasião, o cirurgião plástico, Álvaro Vitor Teixeira vai ressaltar a temática: “O Papel da Nutrologia e da Cirurgia Plástica no Câncer de Mama”. Por sua vez, o médico mastologista, Antônio Leite vai discorrer sobre “A Prevenção e os Cuidados com o Câncer de Mama”, alertando sobre as atenções indispensáveis que todas as mulheres devem ter com seu corpo, a realização do autoexame e sua importância. 
Teixeira é graduado em medicina pela Universidade de Taubaté, São Paulo, especialista em cirurgia geral, em cirurgia pediátrica, em cirurgia plástica, em nutrologia e ainda em medicina legal e perícias médicas. Já o mastologista formou-se em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde fez residência em mastologia no Hospital das Clínicas. Ele também é médico legista da Polícia Científica em Rio Verde e professor de mastologia na Unifimes (Mineiros).
Além destes profissionais, a palestra também vai contar com a presença de Kamila Vieira, esposa do presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSD) e com integrantes do “Grupo Câncer de Mama Superação”, uma rede de apoio e mobilização que utiliza especialmente as ferramentas de redes sociais, como WhatsApp e Instagram. 
Nesse dia, o grupo vai promover corte de cabelo para confecção de perucas num espaço montado no andar térreo, ao lado da seção do Serviço Social e, além disso, haverá uma estrutura de aço vazada em formato de coração, disponibilizada no saguão principal da Alego para receber a doação de lenços. 
Na Alego, todos os anos a seção de Serviço Social promove vários eventos para celebrar o Outubro Rosa. Esse ano, além das palestras e das atividades relatadas acima, também foi instalada a iluminação especial da parte externa e interna da sede na cor rosa, e, ainda, a exposição de 21 banners com fotos e depoimentos de mulheres que enfrentaram o câncer de mama no andar térreo.
“Todas essas atividades têm como objetivo conscientizar as mulheres para a importância do toque, especialmente do auto-exame das mamas, entendendo que esse ato simples, pode estar antecipando um diagnóstico, então nosso desejo é que todas as mulheres sejam despertadas para o autocuidado”, ressalta a chefe da seção do Serviço Social, Lázara Helieth Cruvinel Ferreira.
Atenção aos sinais e sintomas
O evento pretende alertar sobre o câncer de mama, lembrando que esse é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, ocupando a primeira posição em mortalidade por câncer entre as mulheres no Brasil, com taxa de mortalidade ajustada por idade. Os dados mostram que as maiores taxas de incidência e de mortalidade estão nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, enquanto a região norte é a de menor ocorrência da doença.
As mulheres devem estar atentas aos principais sinais e sintomas suspeitos de câncer de mama, dentre eles estão: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).
Outros fatores que merecem muita atenção são a data da primeira menstruação (se ela ocorreu antes dos 12 anos), data da primeira gestação (se ocorreu após os 30 anos), data da menopausa (após os 55 anos), tempo de uso de contraceptivos hormonais e, se for o caso em mulheres mais maduras, tempo de reposição hormonal. Além destes, o último fator que deve ser levado em consideração é o fato da mulher não ter gerado filhos. 
Não existe uma única causa para desenvolver o câncer de mama, entretanto é sabido que os fatores de risco estão relacionados à questões tais como: envelhecimento, determinantes relacionados à vida reprodutiva da mulher, histórico familiar, consumo de álcool, excesso de peso, falta de atividade física e exposição à radiação ionizante. O importante é que as mulheres tenham conhecimento sobre todas essas causas e cuidem da sua saúde. 

0 Shares
You May Also Like