Brasil segue na elite do rugby feminino devido à suspensão da Rússia

0 Shares
0
0
0
0
0
0

A World Rugby, federação internacional da modalidade, informou nesta quarta-feira (20) que o Brasil segue como seleção fixa do circuito mundial feminino de sevens (disputa com sete atletas de cada lado) para a temporada 2022/23. As brasileiras se beneficiaram da punição à Rússia, suspensa de todas as competições devido à invasão militar do país à Ucrânia.

As Yaras (apelido da equipe feminina do Brasil) encerraram a temporada passada, após seis etapas, na 11ª e última posição, com dois pontos a menos que a Espanha. A campanha, a princípio, rebaixaria as brasileiras. A World Rugby, porém, manteve a suspensão às russas, aplicada já no circuito de 2021/22 e que as deixou fora das duas etapas finais. As europeias haviam terminado na oitava colocação.

🏹Yaras mantidas na elite do Circuito Mundial de Rugby Sevens🏉

As 11 seleções fixas do Circuito para a temporada 2022-23 serão:

🇦🇺AUS, 🇳🇿NZL, 🇫🇯FIJ, 🇺🇸EUA, 🇨🇦CAN, 🇫🇷FRA, 🇮🇪IRL, 🇬🇧GBR, 🇪🇸ESP, 🇧🇷BRA e a campeã da 2a divisão.

Mais:https://t.co/tyTVjBGkXf#VemProRugby #Yaras pic.twitter.com/rKFUOAhWzM

— Brasil Rugby (@brasilrugby) July 20, 2022

Os demais participantes do circuito são Austrália (atual campeã), Nova Zelândia, Fiji, França, Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha (no lugar da Inglaterra, também em acordo com as federações de Escócia e País de Gales), Irlanda e Espanha, além da seleção campeã da segunda divisão mundial. Será a quarta temporada das Yaras na elite do rugby feminino, sendo a terceira consecutiva.

A presença no circuito permite às brasileiras atuar regularmente contra as principais seleções do mundo. A estreia na temporada será nos dias 2 e 3 de dezembro deste ano, em Dubai (Emirados Árabes Unidos). As etapas seguintes estão marcadas para Cidade do Cabo (África do Sul), Hamilton (Nova Zelândia), Sydney (Austrália), Vancouver (Canadá), Hong Kong e Toulouse (França).

Antes, entre 9 e 11 de setembro, as Yaras disputam o Campeonato Mundial, na Cidade do Cabo. As brasileiras estiveram nas três edições anteriores do torneio, com o décimo lugar de 2009, em Dubai, como melhor campanha. Em 2013 (Moscou, na Rússia) e 2018 (San Francisco, nos EUA), a equipe chegou na 13ª posição.

0 Shares
You May Also Like