Caravanismo cresce 36% no país em seis meses

0 Shares
0
0
0
0
0
0

O caravanismo – ou ato de viajar e acampar em um veículo – tem ganhado força mundo afora. Atento a esta tendência, o Ministério do Turismo tem atuado para estruturar e promover o segmento no país. Como resultado de uma ação de sensibilização, em seis meses, o número de acampamentos turísticos registrados no Cadastur (cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no turismo) cresceu 36%, passando de 465, em dezembro de 2021, para 632, no final de junho deste ano.

A Região Sul reúne o maior número de cidades fabricantes de veículos recreativos do país, totalizando 33 municípios. Esses e outros dados relacionados ao segmento constam de um estudo produzido pelo Ministério do Turismo e pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), por meio do Laboratório de Transportes e Logística (LabTrans).

O objetivo é a estruturação do caravanismo e campismo no país, identificando entraves para o desenvolvimento, além de apresentar para discussão temas como tributação, legislações, desenvolvimento econômico local, além do mapeamento de pontos turísticos que possuem áreas de apoio a estes viajantes.

Para se ter ideia do potencial de crescimento do segmento no país, de acordo com o Sistema Nacional de Viação (SNV), o Brasil possui uma malha rodoviária federal com a extensão total de 79,5 mil km, dos quais 51,9 mil km são vias pavimentadas. Se consideradas também as rodovias estaduais, a malha rodoviária total do Brasil é composta por 120,7 mil km de extensão, sendo 64,00 mil km de rodovias pavimentadas.

Acesse o relatório AQUI.

Em crescente expansão no Brasil, a modalidade se baseia no deslocamento turístico de veículos de recreação, como trailers e motorhomes, classificado como um tipo de transporte rodoviário usado no setor do turismo. Ligados ao caravanismo, os estacionamentos e acampamentos turísticos são essenciais para possibilitar a adesão de mais pessoas, considerando a necessidade de se estruturar pontos de apoio aos viajantes.

ESTUDO – O relatório e o levantamento de dados são resultados do Grupo de Trabalho criado no âmbito do Fórum MOBTUR, conduzido pela Secretaria Nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões (SNAIC), do Ministério do Turismo. Para isso, foram realizados encontros com as principais entidades do segmento, onde foram selecionadas 30 rotas turísticas estratégicas do país em 128 municípios, que integram o programa Investe Turismo, e que contemplam todos os estados do país. Essas rotas reúnem 19.435 quilômetros de estradas, além de 120 terminais rodoviários.

Durante as visitas, observou-se a necessidade de diferenciar os espaços ao longo de rodovias voltadas para os turistas, daquelas voltadas aos caminhoneiros, devido a aspectos legais e técnicos. Além disso, o relatório mapeou a conectividade, acolhimento, eficiência energética, facilidade de pagamentos, sustentabilidade, acessibilidade, se as vias permitem animais de estimação, valorização da cultura e da comunidade local.

AÇÕES – Após o levantamento de dados feito pela CGMob, na 2ª edição do Fórum do Corredor Bioceânico em Antofagasta, no Chile, que acontecerá entre os dias 22 e 23 de novembro, serão expostas discussões entre os países do corredor – Brasil, Chile, Paraguai e Argentina – sobre a necessidade de políticas públicas conjuntas entre os países para melhor desenvolver o caravanismo e também criar pontos de apoio aos viajantes comuns. Além de uma identidade visual própria e maior segurança, conforto e qualidade para os caravanistas e todos aqueles que fazem parte do turismo rodoviário

Com informações do Ministério do Turismo.

0 Shares
You May Also Like