IPC volta atrás e veta atletas de Rússia e Belarus na Paralimpíada

1 Shares
1
0
0
0
0
0

Atletas da Rússia e de Belarus não poderão mais participar da Paralimpíada de Inverno, em Pequim (China), que começa nesta sexta-feira (4). Um dia após liberá-los para competir sob bandeira neutra, o Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) voltou atrás na decisão e anunciou hoje (3) a exclusão deles do evento. De acordo com o brasileiro Andrew Parsons, a entidade reviu a decisão de ontem (2) – autorizando a participação deles sob bandeira neutra – após descontentamento de atletas e Comitês Nacionais Paralímpicos (NPCs) ao redor do mundo.  A repercussão da invasão russa na Ucrânia, no último dia 24, vem provocando uma série de restrições globais à Rússia. A abertura dos Jogos de Inverno será as 8h55 (horário de Brasília) desta sexta (4), no estádio Ninho do Pássaro. 

“ Ontem dissemos que continuaríamos a ouvir, e é isso que estamos fazendo. Nas últimas 12 horas, um grande número de membros entrou em contato conosco e foi muito aberto, pelo que sou grato. Eles nos disseram que, se não reconsiderarmos nossa decisão, seria provável que houvesse graves consequências para os Jogos Paralímpicos de Inverno de Pequim 2022. Vários NPCs [Comitês Paralímpicos Nacionais], alguns dos quais foram contatados por seus governos, equipes e atletas, estão ameaçando não competir”, disse Parsons em nota oficial. 

The IPC Governing Board has decided to refuse the athlete entries from the RPC and NPC Belarus for the Beijing 2022 Paralympic Winter Games. https://t.co/8rE0szi8YE

— Paralympic Games (@Paralympics) March 3, 2022

“Garantir a segurança dos atletas é de suma importância para nós e a situação nas vilas dos atletas está aumentando e agora se tornou insustentável. Em primeiro lugar, temos o dever como parte da missão paralímpica, consagrada na constituição, de garantir e fiscalizar a organização de Jogos Paralímpicos de sucesso, para garantir que no esporte praticado no Movimento Paralímpico prevaleça o espírito de fair play, violência é proibido, o risco à saúde dos atletas é gerenciado e os princípios éticos fundamentais são respeitados”, completou o dirigente. 

A Paralimpíada de Pequim reunirá cerca de 600 atletas de de 46 países até 13 de março, último dia de competição. O Brasil será representado por seis atletas, a maioria do esqui cross-country: Aline Rocha, Cristian Ribera, Guilherme Cruz Rocha, Robelson Moreira Lula e Wesley dos Santos. Já André Barbieri disputará provas do  snowboard.

1 Shares
You May Also Like