A Lei 14.324 institui o dia 13 de março como Dia Nacional de Luta contra a Endometriose – Foto: Clarice Castro/MMFDH

Lei institui o Dia Nacional de Luta contra Endometriose

12 Shares
12
0
0
0
0
0

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a lei que institui o Dia Nacional de Luta contra Endometriose e a Semana Nacional de Educação Preventiva e de Enfrentamento à Endometriose. A data será celebrada no dia 13 de março, com o objetivo de chamar a atenção para os problemas causados pela doença. A sanção foi publicada na terça-feira (12/04), no Diário Oficial da União (DOU).

A legislação determina ainda que o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e o Ministério da Saúde (MS) serão os responsáveis por divulgar, prestar informações e orientar mulheres que buscam alternativas para a infertilidade e sensibilizar todos os setores da sociedade para o problema da endometriose.

“Aos 21 anos de idade, recebi o diagnóstico da endometriose. Participar da elaboração do texto desta lei que beneficia milhões de mulheres que sofrem com esta doença silenciosa, que provoca intensas dores e ocasiona a esterilidade é uma vitória para mim” contou a ministra Cristiane Britto.

A doença

Silenciosa e dolorosa, a endometriose causa diversos problemas na vida da mulher. No Brasil atinge cerca de 7 milhões, o que resulta aproximadamente em 1 a cada 10 mulheres em idade reprodutiva. Levantamento da Sociedade Brasileira de Endometriose (SBE) revela ainda que mais de 60% das mulheres desconhecem os sintomas do problema.

A endometriose é uma doença inflamatória, causada por células do endométrio que, em vez de serem expelidas durante a menstruação, se deslocam no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a se multiplicar, provocando sangramento.

Muito frequente no período reprodutivo, a doença atinge desde a adolescência até a transição para a menopausa. A mulher pode apresentar cólica intensa durante a menstruação e, na endometriose, esse sintoma é constante e progressivo, vai aumentando a intensidade e geralmente começa mais tardiamente.

Outros sintomas que também podem ser sinais de alerta para a doença são dor e sangramento intestinal e urinários durante o período menstrual, dificuldade para engravidar e a infertilidade.

Com informações do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

12 Shares
You May Also Like