18 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real
 

...

...

 Vencedores da Obmep recebem medalha durante congresso de matemáticos - Jornal Brasil em Folhas - Mobile
Vencedores da Obmep recebem medalha durante congresso de matemáticos

Eduardo Feitosa, 17 anos, morador no município de Balsas, Maranhão, foi um dos medalhistas de ouro da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) realizada em 2017. Este ano, ele completa sete anos de participação no certame, contabilizando cinco medalhas conquistadas. Falando à Agência Brasil, Eduardo disse que a medalha de ouro significa para ele um importante reconhecimento. “É um reflexo do esforço que nós fizemos para conquistar nosso objetivo, principalmente a medalha de ouro, porque são só 500 alunos, entre 2 milhões, que estão participando aqui. É uma grande honra”.

A edição 2018 marca o último ano de participação de Eduardo na olimpíada. Caso vá para uma universidade, ele disse que poderá vir a participar da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), que considera mais complicada, mas que dá acesso às olimpíadas internacionais.

A cerimônia de entrega das medalhas de ouro a 576 estudantes de escolas públicas e privadas de todo o Brasil ocorreu hoje (2) no centro de convenções Riocentro, zona oeste da capital fluminense, durante o Congresso Mundial de Matemáticos (ICM, do nome em inglês International Congress of Mathematicians). Sediado pela primeira vez no Hemisfério Sul, o evento foi aberto ontem (1º) e reunirá, até o próximo dia 9, pesquisadores de todo o mundo para divulgação de novos estudos na área da matemática e troca de experiências.

Obmep

Os estudantes receberam a medalha no mesmo local onde quatro matemáticos receberam ontem a maior honraria da área, que é a Medalha Fields, considerada o Nobel da Matemática. Essa medalha é conferida durante o ICM, a cada quatro anos, aos matemáticos com menos de 40 anos de idade que se destacam na área.

Destinada a alunos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do ensino médio, a Obmep reuniu, no ano passado, em sua décima terceira edição, 18,2 milhões de concorrentes de 99,6% dos municípios brasileiros, dos quais 17,8 milhões de alunos de escolas públicas e os demais de instituições privadas. Foi a primeira vez que o certame incluiu participantes de colégios particulares.

A Obmep manteve o número de medalhas para alunos de escolas públicas das edições anteriores: 500 de ouro, 1.500 de prata, 4.506 de bronze e 38,6 mil menções honrosas. Os estudantes de escolas particulares receberam 76 medalhas de ouro, 227 de prata, 682 de bronze e 5,7 mil menções honrosas.

A competição é realizada desde 2005 pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).
Artur Avila

Durante a solenidade no Riocentro, o único brasileiro a ganhar a Medalha Fields, Artur Avila, recebeu do ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, a Medalha da Ordem Nacional do Mérito Educativo. A honraria visa a premiar personalidades nacionais e estrangeiras que tenham se distinguido por excepcionais serviços prestados à educação. O ministro destacou que “os últimos quatro anos foram de grandes conquistas, com o Arthur recebendo a medalha Fields, que é importantíssima, e com o Brasil entrando no seleto grupo dos 10 países melhores em matemática, em estudo e pesquisa, e ter hoje aqui o maior congresso de matemática do mundo”.

A premiação nacional contou também com a presença do diretor-geral do Impa, Marcelo Viana, e do diretor adjunto do Impa e coordenador nacional da Obmep, Claudio Landim.

Na atual edição do Congresso Internacional de Matemáticos (ICM), a Medalha Fields foi concedida ao iraniano Caucher Birkar; a Alessi Fegalli, da Itália; a Peter Scholze, da Alemanha; e a Akshay Venkatesh, da Índia, durante a abertura do encontro.

Idealizada pelo matemático canadense John Charles Fields para celebrar os grandes feitos na área, a Medalha Fields já foi conquistada por 56 estudiosos das mais diversas nacionalidades, entre os quais Artur Avila, pesquisador extraordinário do Impa, agraciado em 2014, na Coreia do Sul. O ICM surgiu em 1897, em Zurique, Suíça. A cada quatro anos, o congresso é organizado pelo país-sede em parceria com a União Matemática Internacional.

No Brasil, o evento integra o Biênio da Matemática do Brasil 2017-2018, que objetiva, entre outras ações, incentivar o estudo da disciplina, torná-la mais popular e promover atividades que contribuam para aproximá-la cada vez mais do público.

Edição: Davi Oliveira





© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A
CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212

VERSÃO WEB