19 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real
 

...

...

 Rio: manifestantes protestam contra possível corte em bolsas da Capes - Jornal Brasil em Folhas - Mobile
Rio: manifestantes protestam contra possível corte em bolsas da Capes

Centenas de pessoas protestaram no Rio, na noite desta sexta-feira (3), contra a possibilidade de cortes nas bolsas oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Caso a suspensão se confirme, o que foi negado hoje pelo presidente Michel Temer, a falta de dinheiro poderá afetar, em agosto do ano que vem, 93 mil estudantes e pesquisadores. O ato foi realizado na Cinelândia, em frente à Câmara Municipal.

A falta de recursos, segundo os manifestantes, acarretaria a interrupção nos projetos de pesquisa, atrasando e até inviabilizando trabalhos de anos. Para os manifestantes, se houver corte de recursos, o maior prejudicado será o próprio país, pois, além da possibilidade de uma evasão de cérebros para o exterior, levaria a prejuízos econômicos.

“A ciência e a tecnologia já vêm sofrendo cortes ano após ano. Se isso ocorrer, significa abandonarmos um projeto de soberania nacional. Sem pesquisa e sem tecnologia, é muito difícil avançar, pois aumenta a nossa dependência tecnológica internacional. Isso já está provocando uma fuga de cérebros de nosso país”, alertou Dan Gabriel D´Onofre, professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e diretor regional do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições Superiores de Ensino (Andes).

“Estamos aqui neste ato na defesa dos investimentos para a educação, ciência e tecnologia e contra os cortes na Capes. Nós temos na Uerj [Universidade Estadual do Rio de Janeiro] um corpo de pós-graduandos muito grande, que podem ficar sem bolsa, se o orçamento de fato for cortado. Se isso ocorrer, vai acabar com a inovação e com uma perspectiva de soberania nacional, porque a pesquisa no Brasil é feita 80% nas universidades. São estudos que constroem uma tecnologia refinada, de alto rendimento, que só pode ser produzida e pensada por pessoas financiadas pelo governo”, disse Natália Trindade, estudante de mestrado de ciências sociais da Uerj.

O problema foi levantado nesta quinta-feira (2) pelo Conselho Superior da Capes. Em nota enviada ao Ministério da Educação (MEC), o conselho alertou que, se for mantido o orçamento previsto para o órgão em 2019, haverá suspensão das bolsas de pós-graduação e de programas de formação de professores no mês de agosto.

Edição: Nádia Franco





© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A
CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212

VERSÃO WEB