20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real
 

...

...

 Atos pró-Bolsonaro levam apoiadores a diversas cidades do país - Jornal Brasil em Folhas - Mobile
Atos pró-Bolsonaro levam apoiadores a diversas cidades do país

Apoiadores do candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) saíram às ruas hoje (21) em apoio ao candidato. Vestidos com camisetas amarelas e uniformes da seleção brasileira, os manifestantes contam com apoio de carros de som, carregam bandeiras do Brasil e fazem o sinal de arma com a mãos - símbolo muito usado pelo candidato durante a campanha. Ontem (20), em várias cidades do país, manifestantes se reuniram contra o fascismo e a favor da democracia, pelos direitos humanos e em defesa da liberdade de expressão. Organizado por movimentos de mulheres, o ato era contrário ao candidato do PSL.

Brasília

Uma carreata marcada por um buzinaço ocupou as seis faixas da pista que liga o Museu da República ao Congresso Nacional onde muitos apoiadores do militar reformado estavam concentrados.

Ao longo do percurso um carro de som comandado por deputados recém-eleitos e lideranças de movimentos que, pelas redes sociais, ajudaram na convocação de eleitores de Bolsonaro, fizeram discursos contra a corrupção, ideologia de gênero e a favor da “família tradicional”. Os manifestantes também cantaram o Hino Nacional, rezaram o Pai Nosso, entoaram palavras de ordem e simularam o gesto de arma em punho, símbolo muito utilizado pelo presidenciável.

O auge do ato em Brasília foi por volta das 11h, mas nem a Polícia Militar nem os organizadores ouvidos pela Agência Brasil estimaram público. “Nosso objetivo hoje é mostrar que o brasileiro está cansado de 13 anos de governo do PT a gente quer realmente uma mudança. A gente cansou desse discurso de divisão no país e a gente acredita que o único nome capaz de unir o Brasil seja Jair Bolsosnaro”, disse Fábio Constantino, coordenador do movimento Nas Ruas e um dos organizadores da carreata de hoje.

Rio de Janeiro

Na capital fluminense, a manifestação ocorreu na Praia de Copacabana, na zona sul. Carros de som, dois deles com faixas do Movimento Brasil Livre (MBL) e um do movimento Vem Pra Rua, chamam a atenção de quem passa pelo local. No microfone, organizadores atacam o PT e acusam a candidatura de Fernando Haddad de planejar que o Brasil se transforme na Venezuela, em referência a problemas econômicos e sociais enfrentados pelo país vizinho.

Uma faixa estendida na manifestação trazia a frase Não aceitaremos fraude e recebia a assinatura de participantes da manifestação. Segundo a organização do ato, a faixa será levada para o Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília.

Os organizadores repetiram durante o ato o slogan da campanha de Bolsonaro, Brasil acima de tudo, Deus acima de todos e afirmaram que defendem a família, a segurança pública e a educação sem doutrinação. O Hino Nacional foi repetido diversas vezes durante a manifestação.

Deputado estadual mais votado do estado do Rio, Rodrigo Amorim (PSL) defendeu o combate à corrupção e à esquerda e afirmou que a votação recebida traz uma grande responsabilidade. A bancada está mais unida do que nunca.

Em São Paulo, os eleitores e simpatizantes do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, reuniram-se na Avenida Paulista, região central da cidade. Vestidos de verde e amarelo, segurando cartazes com palavras de ordem, como Bolsonaro Mito, PT Nunca Mais e Meu partido é o Brasil, além de bandeiras e bonecos infláveis, os manifestantes ocuparam a via, que fica fechada para os carros aos domingos e feriados.

Seis carros de som dos movimentos participantes estavam estacionados ao longo da avenida. Em cada um, eram feitos discursos contra partidos políticos classificados como progressistas e de esquerda, com a principal bandeira sendo #PT NÃO.

De acordo com a líder do movimento Vem pra Rua, Adelaide Oliveira, o ato ocorre em resposta a partidos e políticos que se envolveram em atos de corrupção. Não queremos mais a corrupção e sim representantes que trabalhem para o Brasil e não para si mesmos. A corrupção sempre tem que ser combatida. Quando surgimos foi de uma indignação com a corrupção, disse.

Adelaide destacou ainda que dizer que o povo brasileiro é corrupto é uma grande mentira. O povo não é corrupto. Teve o sofrimento da corrupção e um flagelo infeliz que permeou todos os partidos políticos e camadas da sociedade. O brasileiro médio que trabalha para sustentar a casa tem orgulho de ter o nome limpo. É esse brasileiro que temos que respeitar e deve estar representado em Brasília, afirmou.

A organização e a Polícia Militar não informaram o número de participantes.
Redes sociais

Por meio do Twitter, o candidato do PSL disse que sua saúde não permite a participação em atos públicos. Ele lembrou que sofreu um atentado no início do setembro e disse que acompanha as manifestações pelo país. Estou acompanhando os atos e meu coração está com todos vocês! Muito obrigado e que Deus os abençoe, escreveu Bolsonaro.

*Matéria ampliada às 14h34, às 15h06 e às 17h14

Edição: Lílian Beraldo





© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A
CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212

VERSÃO WEB