Mendanha busca fortalecer PM goiana com projetos em Plano de Gestão

0 Shares
0
0
0
0
0
0

O pré-candidato ao governo de Goiás, Gustavo Mendanha (Patriota), tem apresentado uma série de projetos que visam fortalecer a Polícia Militar de Goiás. Uma das instituições mais antigas e importantes do Estado completa nesta quinta-feira (28) 164 anos.

O governadoriável tem se reunido com entidades representativas da corporação. Por meio do diálogo com os policiais, Mendanha tem construído projetos para a PM de Goiás que irão compor o Plano de Gestão de sua campanha. O conjunto de ações governamentais será registrado junto com a candidatura no Tribunal Superior Eleitoral.

O olhar do governadoriável para a PM passa pela modernização e fortalecimento interno da instituição. Ele promete ainda resgatar os direitos conquistados pela corporação que foram retirados nos últimos anos.

Uma das queixas dos policiais militares é sobre a falta de pagamento da data-base entre os anos de 2016 e 2021. Neste ano, foi autorizada a recomposição no valor de 10,16%, referente ao último ano, os outros 21,69% não foram pagos.

Gustavo tem proposto a implementação do Estado Inteligente, com a utilização de base tecnológica para contribuir com o trabalho da Polícia, a partir do monitoramento por câmeras instaladas na cidade. Em Aparecida, um projeto similar reduziu a violência em 70%.

Em homenagem ao aniversário da PM, o pré-candidato se manifestou por meio de um vídeo, reconhecendo o trabalho dos policiais, determinante para a redução da criminalidade em Goiás. “Obrigado por protegerem a nossa família. Vocês são patrimônio dos goianos”, disse ele.

No Plano de Gestão, a equipe técnica de Mendanha abordou estratégias para a Polícia Militar baseado em quatro eixos: Transparência, Independência, Modernidade e Eficiência.

Um dos pontos de maior destaque dessa proposta é o da independência do Comando Geral da PM principalmente em relação às promoções e transferências. Mendanha explica que esse critério vai pôr fim às intervenções políticas, que prejudicam a corporação com a transferência de oficiais e praças da corporação baseados em interesses políticos, priorizando critérios de promoções mais justos, analisados pelo comando da instituição.

Todos os pontos foram uma construção em conjunto com as forças de segurança. Gustavo afirmou que caso seja eleito, não irá faltar abertura para o diálogo com a categoria.

Desafios do trabalho da Polícia Militar

Os maiores problemas da Polícia Militar são o baixo efetivo e a defasagem salarial, pontos que não foram atendidos pelo atual governador que tem a segurança pública como carro-chefe da gestão.

Um levantamento sobre o efetivo das forças de segurança em Goiás aponta que há um déficit de 173,97%, já que o ideal era ter 30.663 policiais militares e hoje são 11.181 servidores.

Com a baixa quantidade do efetivo, mais de 50 municípios goianos não contam com a presença ideal da PM, sendo necessário o pagamento de horas extras para cumprir o policiamento em outra localidade vizinha à que estão lotados, gerando sobrecarga de trabalho aos policiais militares.

Segundo Gustavo Mendanha, o governador teve quatro anos para cumprir suas promessas e não fez. “Agora este ano surgiu com medidas politiqueiras como o pagamento da data-base, referente apenas a 2021, deixando quatro anos de trabalho para trás”, disse.

0 Shares
You May Also Like