Mulher é presa por tumultuar votação no Distrito Federal

0 Shares
0
0
0
0
0
0

Uma mulher recebeu voz de prisão logo no início da votação deste domingo (30), por suspeita de causar tumulto na fila da seção eleitoral localizada na Faculdade Unieuro, em Águas Claras, cidade a 20 quilômetros do centro de Brasília.

Ela foi denunciada por uma eleitora, que disse ter sido constrangida pela mulher. Segundo o juiz eleitoral substituto da 15ª Zona Eleitoral do Distrito Federal, Franco Píccoli, a denunciada, que é fiscal de partido, abordou eleitores na seção de votação pedindo que calassem a boca e não permanecessem no local.

Notícias relacionadas:

Até as 9h40, 926 urnas eletrônicas foram substituídas em todo país.Agência Brasil tira dúvidas sobre o segundo turno das eleições.Saiba para quem o voto é obrigatório e para quem é facultativo.A fiscal de partido foi escoltada por policiais militares até a Superintendência da Polícia Federal, onde será ouvida e deverá assinar termo circunstanciado. Segundo os artigos 296 e 297 do Código Eleitoral, promover desordem que prejudique os trabalhos eleitorais é crime. Nesses casos, a pena varia de dois a seis meses de detenção e pagamento de multa.

Urnas substituídas

Segundo TRE, até as 9h30, 11 urnas apresentaram problemas técnicos e tiveram de ser substituídas.

No total, o DF tem 6.748 seções instaladas em 607 locais de votação. Ao todo, 2.207.628 eleitores estão aptos a votar.

0 Shares
You May Also Like