Por iniciativa de Lissauer Vieira, Alego homenageou profissionais da Segurança Pública de Rio Verde nesta quarta-feira, 23

0 Shares
0
0
0
0
0
0

Por iniciativa do presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputado Lissauer Vieira (PSD), a Casa de Leis realizou na manhã desta quarta-feira, 23, sessão solene para a entrega do Certificado do Mérito Legislativo em homenagem a policiais civis, militares e técnico-científicos de Rio Verde. A solenidade aconteceu no plenário Iris Rezende, do Palácio Maguito Vilela, teve início às 10 horas e contou com a presença do deputado Chico KGL (UB).
Titular da 8ª Delegacia Regional de Rio Verde, o Dr. Danilo Fabiano Carvalho Oliveira foi o primeiro a discursar na sessão solene. De acordo com o delegado, a homenagem é justa pelo excelente trabalho realizado pelos profissionais de Segurança Pública na resolução do caso de homicídio do corretor de imóveis Wellington Luiz Ferreira Freitas, ocorrido em junho desse ano. “Demos à sociedade, uma resposta imediata para a elucidação desse crime”, disse. Dr. Danilo Fabiano também ressaltou a importância da parceria com outros órgãos para a rápida conclusão do caso. “Trabalhamos em conjunto e só temos a agradecer a Alego pela homenagem prestada”.
O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, deputado Lissauer Vieira, ao discursar, cumprimentou de forma especial os familiares do corretor de imóveis Wellington Luiz Ferreira Freitas. Ele destacou que todos os homenageados hoje atuaram com força e dedicação neste caso específico e por isso são merecedores de reconhecimento por parte do Poder Legislativo estadual. “Nós decidimos fazer essa justa homenagem, principalmente, pela rápida atuação em desvendar um crime hediondo, que envolveu uma pessoa de bem, que trabalhou toda sua vida se dedicando pela sua família. Vocês não mediram esforços para conseguir colocar as pessoas que foram acusadas em seu devido lugar”, destacou o deputado.
Lissauer disse ter certeza de que por meio do trabalho de cada homenageado, pela justiça dos homens na terra e pela justiça divina, os envolvidos em um crime como esse sempre acabam pagando pelos erros cometidos. “Nós sabemos que o trabalho que desempenham no dia a dia tem dado muito orgulho ao cidadão goiano. Nos últimos anos temos visto que em todas as ações das forças de segurança pública de Goiás vêm se destacando. Isso ocorre principalmente pela coragem de vocês de enfrentarem o crime e dedicarem a sua vida em prol do cidadão de bem. Essa solenidade, portanto, é para mim um momento de gratidão”, disse. Ele finalizou sua fala dizendo que o fato entristece, mas na mente ficam as boas lembranças do amigo pessoal e o sentimento de que a justiça está sendo feita e com a certeza de que os envolvidos pagarão pelos crimes.
Em nome dos homenageados, o comandante do 8º Comando Regional da Polícia Militar de Goiás, tenente-coronel Pedro Henrique Alves de Paiva, também discursou na sessão solene desta manhã e relembrou o homicídio. “Foi um momento de muita comoção, trata-se de uma ocorrência marcante e que chocou toda a sociedade rio-verdense pela forma bárbara que ela aconteceu”, disse. O comandante também ressaltou a importância da homenagem realizada por iniciativa do presidente da Alego, deputado Lissauer Vieira. “Quero parabenizar a todos os presentes e mostrar que com o nosso trabalho e esforço, em Rio Verde, não há crime que não pode ser elucidado”, afirmou.
O delegado titular da Delegacia de Homicídios de Rio Verde, Adelson Candeo Júnior, discursou em nome dos homenageados da Polícia Civil e destacou que o reconhecimento é muito importante para o trabalho, pois motiva e torna os envolvidos mais proativos na busca por justiça.
Segundo ele, Rio Verde tem obtido bons resultados na solução de casos de homicídios e que a instalação da regional na cidade promoveu grande melhoria nos índices. “Para se ter uma ideia, há cerca de 10 anos atrás, quando tivemos instalada a unidade, o número de homicídios era superior a 120 casos ao ano. Nos últimos três anos já apresentamos uma média abaixo de 30. É uma redução fantástica, em concomitância com uma apuração real e índices de 90% na solução e apontamento de autores de crimes de homicídio. Isso é fruto do trabalho de policiais civis e militares”, ressaltou o delegado.
Adelson destaca que o caso Wellington Luiz Ferreira Freitas deixa muito clara a integração das forças de segurança como receita desse sucesso. “No momento em que aconteceu o fato, reunimos os comandos da Polícia Civil e Militar para irmos atrás das primeiras evidências, dos primeiros suspeitos, dos primeiros indícios. No dia seguinte já tínhamos o nome do executor do crime e algumas horas depois dos envolvidos e os culpados em nossas mãos. Felizmente temos conseguido dar uma resposta rápida em nossa região”, finalizou.  
O superintendente adjunto da Polícia Científica, Ricardo Matos, foi o último a discursar na sessão solene e agradeceu a Alego pelo reconhecimento. “O trabalho integrado é fundamental para o sucesso de qualquer caso de segurança pública. É um momento de reafirmar a importância da Polícia Científica para a nossa sociedade”, afirmou.
Caso Wellington Luiz Ferreira Freitas
O corretor de imóveis Wellington Freitas, de 68 anos, foi encontrado morto em uma mata às margens da BR-060, na zona rural de Rio Verde, em 20 de junho desse ano. Quatro pessoas foram indiciadas pelo crime: executor, partícipes e mandante, sendo que a prisão do executor ocorreu ainda em flagrante delito (24 horas após o crime). Em menos de cinco dias desde o homicídio, a polícia civil, em parceria com as demais instituições homenageadas, já havia cumprido as prisões.

0 Shares
You May Also Like