Reservas decidem e Japão supera Alemanha por 2 a 1 na estreia da Copa

0 Shares
0
0
0
0
0
0

Pouco mais de 24 horas depois da Argentina ser derrotada pela Arábia Saudita, a zebra passeou novamente na Copa do Mundo do Catar. Nesta quarta-feira (23), a tetracampeã mundial Alemanha foi supreendida e perdeu de virada para o Japão, por 2 a 1, no Estádio Internacional Khalifa, em Doha, na abertura do Grupo E.

Japan beat Germany.@adidasfootball | #FIFAWorldCup

— FIFA World Cup (@FIFAWorldCup) November 23, 2022

Notícias relacionadas:

Atual vice mundial, Croácia estreia sem gols contra Marrocos na Copa.Fifa investigará cantos homofóbicos de torcida equatoriana na Copa.Tite escolhe Thiago Silva como capitão do Brasil na estreia da Copa.É o segundo Mundial seguido em que os alemães iniciam a participação com derrota. Na edição anterior, na Rússia, a seleção europeia foi superada pelo México, na primeira rodada, por 1 a 0. Os japoneses, por sua vez, repetiram 2018, quando também largaram com uma vitória por 2 a 1, sobre a Colômbia.

A chave de germânicos e nipônicos ainda conta com Espanha e Costa Rica. O duelo entre os outros integrantes do Grupo E será o próximo desta quarta-feira, a partir de 13h (horário de Brasília), no Estádio Al Thumama, também em Doha.

Os próximos compromissos de Japão e Alemanha serão no domingo (27), pela segunda rodada. Às 7h, os Samurais Azuis pegam a Costa Rica no Estádio Ahmad Bin Ali, em Al Rayyan. No fim do dia, às 16h, os germânicos têm pela frente o clássico com a Espanha, no Estádio Al Bayt, em Al Khor.

Protesto alemão

Antes de a partida começar, os alemães fizeram protestos. Na pose para a foto oficial, após a execução dos hinos nacionais, os jogadores levaram a mão direita à boca. A Alemanha era uma das seleções cujos capitães utilizariam uma braçadeira com a expressão “One Love” (“Um Amor”, na tradução do inglês), em apoio à causa LGBTQIA+, mas que foram pressionadas pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) a recuarem. A homossexualidade é proibida no país-sede da Copa.

It wasn’t about making a political statement – human rights are non-negotiable. That should be taken for granted, but it still isn’t the case. That’s why this message is so important to us.

Denying us the armband is the same as denying us a voice. We stand by our position. pic.twitter.com/tiQKuE4XV7

— Germany (@DFB_Team_EN) November 23, 2022

O goleiro Manuel Neuer, capitão alemão, ainda tentou escondeu a braçadeira que utilizava, disponibilizada pela Fifa. Em entrevista coletiva no sábado (18), o presidente da federação germânica, Bernd Neuendorf, reclamou da entidade responsável pelo Mundial pedir “foco no futebol” a quem pretendia se manifestar contra denúncias de violações a direitos humanos no Catar.

Pressão germânica

Com a bola rolando, o Japão repetiu a estratégia de outras seleções franco atiradoras nesta Copa, como Arábia Saudita, Tunísia ou Marrocos, iniciando o jogo com a marcação alta para encurtar os espaços alemães. O gol de Daizen Maeda, aos seis minutos, anulado por estar um pouco à frente da zaga no momento do cruzamento do também atacante Junya Ito, pela direita, assustou os tetracampeões mundiais.

Não demorou, porém, para a Alemanha encaixar a troca de passes mais acelerada e envolver os japoneses, marcando presença com frequência no campo ofensivo e desenvolvendo os ataques pelos lados. Aos 15 minutos, o zagueiro Antonio Rüdiger cabeceou rente à trave esquerda, com perigo. Quatro minutos depois, o volante Joshua Kimmich soltou a bomba da entrada da área e obrigou o goleiro Shuichi Gonda a se esticar para evitar o gol. Aos 27, na sequência de boa tabela germânica, o volante Ilkay Gündogan bateu da meia-lua, mas o chute saiu no meio do gol e facilitou a defesa de Gonda.

Off the mark at the 2022 World Cup! #️⃣1️⃣#GER #FIFAWorldCup #GERJPN 1-0 pic.twitter.com/uKxYfOUFJ2

— Germany (@DFB_Team_EN) November 23, 2022

O gol estava amadurecido. Aos 30 minutos, o lateral David Raum foi lançado por Kimmich na área, pela esquerda, sendo derrubado por Gonda. A penalidade foi assinalada e Gündogan deslocou o goleiro na cobrança para abrir o marcador. Os alemães balançaram as redes novamente nos acréscimos, antes do intervalo, com Kai Havertz, mas o lance foi anulado. O árbitro de vídeo (VAR) viu impedimento do camisa 7, que desviou um chute cruzado do também atacante Serge Gnabry.

Quem não faz, leva

A Alemanha manteve o ritmo na volta do intervalo e quase ampliou aos cinco minutos – no que seria um golaço de Jamal Musiala. O meia de 19 anos avançou pela esquerda, passou por cinco marcadores ao invadir a área e levou para a perna direita, mas a batida saiu muito alta. Aos 14, foi a vez de Gündogan ficar no quase, ao receber na entrada da área e chutar rasteiro, na trave esquerda. Dez minutos depois, Gonda efetuou quatro incríveis defesas em sequência, a última delas em uma cabeçada de Gnabry, no cantinho esquerdo.

Eis que a velha máxima “quem não faz, toma” se fez presente em Doha. Aos poucos, o Japão foi encontrando espaços e as substituições do técnico Hajime Moriyasu deram mais mobilidade à equipe. Aos 27, o meia Wataru Endo avançou pela esquerda e encontrou Ito na área. O atacante bateu e obrigou Neuer a uma boa defesa. No rebote, Hiroki Sakai (atuando como ponta direita após a entrada do também lateral Takehiro Tomiyasu), próximo à trave direita, concluiu para fora.

⚽️試合終了⚽️

🏆FIFA #ワールドカップ 第1節

🇯🇵#SAMURAIBLUE 2-1 ドイツ代表🇩🇪

⌚️22:00KO<日本時間>

📺#ABEMA / #NHK

🔗https://t.co/qYizryQhpu#jfa #daihyo #サッカー日本代表#つな超え #新しい景色を2022#worldcup #FIFAWorldCup pic.twitter.com/NQvZmy1DUe

— サッカー日本代表 🇯🇵 【11.17(木)】vs 🇨🇦【11.23(水)】vs 🇩🇪 (@jfa_samuraiblue) November 23, 2022

Na oportunidade seguinte, os asiáticos não desperdiçaram, com participação de três jogadores que saíram do banco. Aos 30, novamente pela esquerda, o atacante Takumi Minamino recebeu de Kaoru Mitoma, entrou na área e bateu. Neuer defendeu, mas, desta vez, a sobra foi aproveitada e o também meia Ritsu Doan (que, ironicamente, atua no alemão Freiburg) mandou para a rede.

A virada dos Samurais saiu aos 37 minutos, outra vez com a jogada começando pelos lados, agora o direito. O atacante Takuma Asano, mais um que começou a partida na reserva, foi lançado às costas da marcação, entrou na área e soltou a bomba na saída de Neuer. Os alemães se lançaram ao ataque, tentando compensar as oportunidades desperdiçadas, mas o desespero bateu, para festa da torcida japonesa em Doha.

0 Shares
You May Also Like