Líbia pede apoio internacional para combater Estado Islâmico

Redação Redação

O primeiro-ministro da Líbia, Fayez al-Sarraj, apelou à comunidade internacional para ajudar seu país na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI). A Líbia carece da ajuda internacional na luta contra o Estado Islâmico, disse al-Sarraj em uma entrevista hoje (10) ao diário italiano Corriere della Sera.

Ele ressaltou que o EI é um inimigo complicado, astucioso e perigoso, não só para o nosso país, mas também para a Itália, a Europa e o mundo.

Acrescentou que o grupo vai usar todos os meios para enviar seus combatentes à Itália e Europa em geral. Ele também não excluiu a presença de terroristas entre os migrantes que constantemente chegam às costas européias, através do Mediterrâneo.

Temos de resolver este problema em conjunto; o Estado Islâmico representa uma ameaça para todos nós, disse ele. Ao explicar a decisão da Líbia sobre o pedido de ajuda dos Estados Unidos, que começou no dia 1º de agosto, para lançar ataques contra o EI perto da cidade de Sirte, al-Sarraj disse que isso foi feito para prevenir futuras perdas entre a população civil e nossos soldados.

Pedi a intervenção por meio de ataques aéreos norte-americanos, que devem ser cirúrgicos, limitados no tempo e no espaço geográfico e sempre coordenados com a gente, nós não precisamos das tropas estrangeiras no território líbio, afirmou ele.

Paralelamente aos ataques norte-americanos, desde junho passado continua uma operação terrestre das milícias Misurata, leais às novas autoridades.

A Líbia está em uma crise profunda desde 2011, ano em que foi deposto e morto Muammar Khaddafi, líder do país durante várias décadas. – BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS – I3D 15749

A BRASIL EM FOLHAS utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para recomendar conteúdo e publicidade. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições. Aceitar Consulte mais informação

Política de Privacidade e Cookies