Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Casa Branca ameaça vetar projeto bipartidário para imigração - Jornal Brasil em Folhas
Casa Branca ameaça vetar projeto bipartidário para imigração


A Casa Branca disse nesta quinta-feira (15) que vai aconselhar o presidente Donald Trump a vetar o projeto bipartidário de imigração, pressionando o Senado dos Estados Unidos, que busca um acordo para proteger jovens imigrantes da deportação.

A proposta de acordo, que dá a 1,8 milhão de imigrantes dreamers o caminho para obter a cidadania e aumenta a segurança nas fronteiras, parece estar ganhando adeptos no Senado, embora Trump tenha defendido energicamente seu próprio projeto de lei, similar nestes pontos, mas que ainda restringe a imigração legal.

O projeto bipartidário, apresentado por oito republicanos e oito democratas, mudaria drasticamente nossa política nacional de imigração para pior, debilitando a segurança nas fronteiras e socavando a lei de imigração existente, disse em comunicado a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

Se fosse apresentado ao presidente um projeto de lei que incluísse essa emenda, seus assessores lhe recomendariam o veto, acrescentou.

A ameaça de vetar é um balde de água fria para o que foi descrito por alguns republicanos como a proposta de imigração mais viável no Senado - onde os membros lutam para aprovar um projeto antes do fim desta semana.

A questão central é qual projeto pode receber 60 votos - o mínimo para a legislação avance no Senado, que tem 100 membros, dos quais 51 são republicanos.

Esse é o único projeto de lei que se ocupa de questões de imigração com amplo apoio bipartidário, disse à imprensa a senadora republicana Susan Collings, fundadora da Coalizão pelo Senso Comum, que elaborou a medida.

A Casa Branca alertou que o projeto de lei de Collins impede a execução de ações legais contra pessoas que entrem no país antes de junho de 2018, o que produziria uma avalanche de novos imigrantes ilegais nos próximos meses.

O governo se compromete a encontrar uma solução permanente, justa e legal para o Daca, acrescentou Sanders. Mas esta emenda só agravaria o problema.

O futuro do 1,8 milhão de jovens que chegaram ilegalmente ao território americano ainda eram crianças é incerto desde que Trump cancelou o programa Daca em setembro de 2017 e deu ao Congresso prazo até 5 de março para um acordo definitivo sobre o destino de seus beneficiários.

 

Últimas Notícias

Instituições financeiras reduzem previsão de déficit primário em 2018
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% em 2019
Eletrobras: suspensão de leilão se estende a Amazonas Energia
BNDES voltará a subscrever ações de empresas
Juros do cheque e empréstimo pessoal em 2018 foram menores que em 2017
São Paulo fecha ano com 9,9 milhões de empregos formais no comércio
Governo libera 100% de capital estrangeiro nas aéreas nacionais
BNDES fecha o ano com desembolsos de R$ 71 bilhões

MAIS NOTICIAS

 

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 36 milhões
 
 
Câmara aprova incentivos fiscais a Sudene, Sudam e Centro-Oeste
 
 
Governadores discutem hoje segurança pública; Moro deve participar
 
 
Doria diz a Moro que estados precisam de recursos para a segurança
 
 
João de Deus afirma estar à disposição da Justiça
 
 
CGU recupera R$ 7,23 bilhões para os cofres públicos este ano

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212